Cinema

"Faroeste Caboclo" leva sete troféus no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Do UOL, em São Paulo

O filme "Faroeste Caboclo" venceu sete das 13 categorias a que concorria no 13º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que aconteceu na noite desta terça-feira (26) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O longa de René Sampaio com Ísis Valverde e Fabrício Boliveira levou, entre outros, o troféu Grande Otelo de melhor longa-metragem de ficção.

Neste ano, o evento premiou pela primeira vez um longa-metragem de comédia. O vencedor foi "Cine Holliúdy", de Halder Gomes. Em comunicado, o presidente da Academia Brasileira de Cinema, Roberto Farias, havia comentado a novidade. "A comédia é uma tradição do cinema brasileiro, mas sempre foi pouco valorizada."

O diretor e dramaturgo carioca Domingos Oliveira foi o grande homenageado nesta edição. Realizado pela Academia Brasileira de Cinema, o Grande Prêmio de Cinema Brasileiro entrega o tradicional Troféu Grande Otelo a premiados que são escolhidos tanto pelo público quanto pelos integrantes da Academia.

Confira abaixo a lista de premiados:

Melhor longa-metragem de ficção:
"Faroeste Caboclo". Produção: Bianca De Felippes por Gávea Filmes e Produções, Marcello Maia por República Pureza e René Sampaio por Fogo Cerrado Filmes (108minutos)

Melhor longa-metragem de documentário:
"A Luz do Tom", de Nelson Pereira dos Santos. Produção: Márcia Pereira dos Santos por Regina Filmes Ltda e Maurício

Melhor longa-metragem de animação:
"Uma História de Amor e Fúria", de Luiz Bolognesi. Produção: Caio Gullane, Fabiano Gullane, Débora Ivanov e Gabriel Lacerda por Gullane Entretenimento, Laís Bodanzky, Luiz Bolognesi e Marcos Barreto por Buriti Filmes

Melhor longa-metragem infantil: 
"Meu Pé de Laranja Lima", de Marcos Bernstein. Produção: Katia Machado por Pássaros Films do Brasil Audiovisuais Ltda.

Melhor longa-metragem de comédia:
"Cine Holliúdy", de Halder Gomes. Produção: Halder Gomes e Dayane Queiroz por ATC Entretenimentos

Melhor direção:
Bruno Barreto por "Flores Raras"

Melhor atriz:
Gloria Pires, como Lota de Macedo Soares, por "Flores Raras"

Melhor ator:
Fabrício Boliveira, como João de Santo Cristo, por "Faroeste Caboclo"

Melhor atriz coadjuvante:
Bianca Comparato, como Carmem Tereza, por "Somos Tão Jovens"

Melhor ator coadjuvante:
Wagner Moura, como Lindo Rico, por "Serra Pelada"

Melhor direção de fotografia:
Gustavo Habda, por "Faroeste Caboclo"

Melhor direção de arte:
José Joaquim Salles, por "Flores Raras"

Melhor figurino:
Marcelo Pies, por "Flores Raras"

Melhor maquiagem:
Siva Rama Terra, por "Serra Pelada"

Melhor efeito visual:
Daniel Greco e Bruno Monteiro, por "Uma História de Amor e Fúria"
Robson Sartori, por "Serra Pelada"

Melhor roteiro original:
Kleber Mendonça Filho, por "O Som ao Redor"

Melhor roteiro adaptado:
Marcos Bernstein e Victor Atherino – adaptado da música "Faroeste Caboclo" de Renato Russo, Legião Urbana – por "Faroeste Caboclo"

Melhor montagem ficção:
Marcio Hashimoto, por "Faroeste Caboclo"

Melhor montagem documentário:
Marília Moraes e Tina Baz, por "Elena"

Melhor som:
Leandro Lima, Miriam Biderman, ABC, Ricardo Chuí e Paulo Gama por "Faroeste Caboclo"

Melhor trilha sonora:
Paulo Jobim por "A Luz do Tom"

Melhor trilha sonora original:
Phillipe Seabra por "Faroeste Caboclo"

Melhor curta ficção:
"Flerte" de Hsu Chien

Melhor curta documentário:
"A Guerra dos Gibis" de Thiago Brandimarte Mendonça e Rafael Terpins

Melhor curta animação:
"O Menino que Sabia Voar" de Douglas Alves Ferreira

Melhor longa-metragem estrangeiro:
"Django Livre"/Django Unchained de Quentin Tarantino. Distribuição: Sony Pictures
 

Topo