Filmes e séries

Tempo Glauber deve ser fechado até o final do ano, diz filha do cineasta

Mariane Zendron

Do UOL, em Brasília

17/09/2014 17h42

O centro cultural que mantêm parte importante do acervo do cineasta Glauber Rocha deve ser fechado até o final deste ano por falta de apoio financeiro do governo. A informação sobre o encerramento das atividades do Tempo Glauber, localizado no bairro do Botafogo, no Rio de Janeiro, foi confirmada pela filha do diretor baiano, Paloma Rocha, durante o Festival de Cinema de Brasília. 

Ao UOL, Paloma contou que a crise do centro cultural começou em 2010, quando um convênio público foi interrompido bruscamente. "Na época, estava com 12 funcionários e tive que demiti-los", disse. Durante os quatro anos, ela conta ter recebido inúmeras promessas de novos incentivos, que nunca se concretizaram. "Fiquei mantendo aquilo de uma maneira insana, como minha avó fez a vida inteira. Só que minha avó era minha avó, e eu não tenho condições de manter aquela casa com os meus recursos".

Lúcia Rocha, mãe de Glauber, morreu em janeiro deste ano aos 95 anos e foi quem fundou o Tempo Glauber, depois de ter recolhido toda a obra do cineasta que, além dos filmes, inclui desenhos, documentos, cartas e fotos. Os filmes --22 ao todo-- estão todos restaurados e já foram transferidos para a Cinemateca brasileira, em São Paulo. "Já os desenhos, eu consegui transferir para o Instituto Moreira Salles na semana passada, depois de seis meses de negociação".

"Quando eu transferir o que falta para um lugar seguro, e pretendo fazer isso até o final do ano, eu não sei o que vai ser daquilo ali. E isso não é mais uma grande preocupação para mim. Essa é uma preocupação do estado. Minha parte está feita. O obra está restaurada", concluiu Paloma.

O Festival de Cinema de Brasília iniciou na noite de terça-feira (16) sua 47ª edição, com uma exibição da cópia restaurada de "Deus e o Diabo na Terra do Sol", que completa 50 anos em 2014.

50 anos de "Deus e o Diabo na Terra do Sol"

  • Imagem: Marco Antonio Cavalvalcanti/UOL
    Marco Antonio Cavalvalcanti/UOL
    Imagem: Marco Antonio Cavalvalcanti/UOL

    Othon Bastos, o Corisco do filme

    Braço direito de Lampião no clássico de Glauber Rocha, Othon gosta de lembrar as histórias fantásticas que rodeiam os bastidores das filmagens. Em entrevista ao UOL, o ator contou sobre a amizade e o temperamento difícil do diretor e sobre a importância do clássico do cinema brasileiro. Leia mais

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
AFP
AFP
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
AFP
Topo