Filmes e séries

Guilherme Fontes terá de devolver mais de R$ 71 mi por filme "Chatô"

Divulgação/TV Globo
Guilherme Fontes é Mário em "Boogie Oogie" Imagem: Divulgação/TV Globo

James Cimino

Do UOL, em São Paulo

27/11/2014 18h10

O TCU (Tribunal de Contas da União) negou recurso ao ator Guilherme Fontes no julgamento de prestação de contas referente à produção do filme "Chatô", que ele começou a produzir há 19 anos e que até hoje não foi lançado.

De acordo com a decisão do tribunal, Fontes deverá devolver à Ancine (Agência Nacional do Cinema) R$ 66.267.732,48. O valor é corrigido por juros. Originalmente, o ator e diretor captou cerca de R$ 8,6 milhões.

Além disso, ele terá de pagar duas multas no valor de R$ 2,5 milhões cada. Uma como pessoa física, e outra destinada a sua produtora, a Guilherme Fontes Filmes Ltda., o que totaliza um débito de mais de R$ 71 milhões. As informações são da assessoria de imprensa do tribunal. O TCU informa ainda, que não cabe recurso à decisão do relator do processo, o ministro Aroldo Cedraz.

Caso o ator não pague o que deve, parte do processo será enviada à AGU (Advocacia Geral da União) e a outra parte à Ancine. Os dois órgãos, então, ficarão responsáveis de encaminhar o material à Justiça para efetuar a cobrança judicial.

Para pagar esse montante, o filme "Chatô" teria de arrecadar pelo menos 70% da bilheteria de "Tropa de Elite 2", que mantém o recorde de arrecadação do cinema nacional: R$ 104 milhões; ou 41% a mais que o segundo colocado neste ranking, a comédia "Se Eu Fosse Você 2", que arrecadou R$ 50,5 milhões.

O UOL tentou contato por e-mail com o ator na tarde desta quinta-feira (27), mas até a publicação desta reportagem não havia recebido qualquer resposta.

Histórico

Guilherme Fontes começou a captar recursos para o filme "Chatô", que conta a história de Assis Chateaubriand, magnata das comunicações no Brasil, em 1995. Durante este período, Guilherme Fontes sofreu acusações de desvio de dinheiro e o filme nunca saiu.

No começo deste ano, o ator deu uma entrevista à revista "Status" dizendo que pretendia lançar o filme ainda em 2014.

"Filmei em 1999, 2002 e 2004. Nunca houve uma filmagem cancelada, nada que denotasse falta de profissionalismo. Ele está com 1 hora e 53 minutos. Acabou", disse à revista. 

Ainda segundo seu relato, o longa, baseado no livro de Fernando Morais, teve 80% de seu conteúdo filmado em três anos. Os outros 20% levaram mais 14 anos.  "Está faltando um dinheirinho para fazer a trilha sonora e a computação gráfica".

Na mesma entrevista, o ator negou o desvio de dinheiro: "Eu durmo tranquilo porque nunca desviei um real. Essas duas condenações são uma piada. O que captei de fato foram R$ 12 milhões. Recebi R$ 8,6 milhões, que investi integralmente no projeto. O Brasil é fake! É uma história complicada."

"Vou estrear este ano. E vai ser uma coisa muito louca. As pessoas vão se surpreender. Está quase, está quase", continuou, completando também que negocia direitos de transmissão na televisão com a Rede Globo.

O elenco de "Chatô" tem o ator Marco Ricco, no papel título, além de Andrea Beltrão, Paulo Betti, Leandra Leal, Eliane Giardini e Gabriel Braga Nunes.

Atualmente, Fontes está no ar como o personagem Mário, na novela das 18h da Globo "Boogie Oogie".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
AFP
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Cinema
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo