Filmes e séries

Curta mineiro disputa Cannes com elenco formado pelos pais do diretor

Divulgação
Cena de "Quintal"; curta do mineiro André Novais é estrelado pelos pais do cineasta Imagem: Divulgação

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

13/05/2015 06h00

Representante brasileiro na mostra paralela Quinzena dos Realizadores, no Festival de Cannes, o curta mineiro “Quintal” tem um elenco especial para o diretor André Novais. Os próprios pais do cineasta, Maria José e Norberto Novais, vivem os protagonistas da história, contracenando com atores iniciantes e alguns até improvisados, ao estilo “Cidade de Deus”.

Apesar do baixo orçamento da produção, a escalação do elenco, é, na verdade, uma opção estética. Também acontece em “Ela Volta na Quinta”, longa de estreia do cineasta, exibido no Festival de Brasília do ano passado, e no curta “Pouco Mais de um Mês”, também selecionado para Cannes, em 2013.

“Isso tudo aconteceu de forma natural. Simplesmente funcionou. Experimentei fazendo um curta com eles, que nem está pronto ainda, de uma forma mais documental, com falas meio soltas. E eles desenvolveram bem frente às câmeras”, diz ao UOL Novais, que embarca com a família para a França na próxima sexta (15).

Divulgação
O diretor mineiro André Novais Imagem: Divulgação

As produções “caseiras”, com participação dos pais, amigos e conhecidos, viraram uma marca do cineasta. Rodado em cinco dias na casa da família, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, “Quintal” narra o pacato cotidiano do casal, mas com fortes toques ficcionais e de realismo fantástico, influência do escritor mineiro Murilo Rubião.  

A possibilidade de vencer a disputa, repetindo o feito do pernambucano Bruno Bezerra (o “Tião”) com os curtas “Muros” (2008) e “Sem Coração” (2014)este ao lado de Nara Normande, é algo longe do horizonte de expectativas de Novais. "Quintal" concorre com outras dez produções internacionais.

"Não estou pensando nisso [vencer], de verdade mesmo. Apenas ir até lá já é muito legal. Vai todo mundo feliz. E serve pra abrir portas. Vamos curtir o festival, curtir a família, e ver muitos filmes.”

Cinema de Contagem

André deu início à trajetória cinematográfica há seis anos, quando se uniu a três amigos e criou a Filmes de Plástico, em Contagem. A produtora conta hoje com 14 filmes finalizados. Dois projetos de novos longas já estão engatilhados. "Prefiro não falar sobre eles agora, ainda estamos na fase de desenvolvimento, captação."

Por causa da produção em série e do sucesso de títulos como “A Vizinhança do Tigre”, de Affonso Uchoa, vencedor da Mostra de Tiradentes de 2014, a imprensa local já vem chamando a cidade de “a capital mineira do cinema”. Rótulo que André rejeita.

“Tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo em Contagem, Belo Horizonte e inclusive no interior. O cinema brasileiro está passando por uma fase muito boa. Não tivemos longas este ano em Cannes, mas acho que vários filmes tiveram chance de entrar. Não entraram por algum motivo específico.”

A 47ª edição da Quinzena dos Realizadores de Cannes terá 19 longas e 11 curtas competindo. Este ano, a abertura será com “In the Shadow of Women” ('L'Ombre des Femmes'), do francês Philippe Garrel. O Festival de Cannes começa nesta quarta (13) e vai até o dia 24.

Divulgação
Pais do diretor, Norberto Novais, em cena de "Quintal"; filme disputa a mostra paralela Quinzena dos Realizadores de Cannes Imagem: Divulgação

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Topo