Cinema

Loucura de todo mundo: Por que você ainda vai ouvir falar muito de Deapool

James Cimino

Do UOL, em San Diego (EUA)

“Muitas pessoas me conhecem por Deadpool, mas meu nome, pelo qual meus amigos mais íntimos me conhecem, é Wade Wilson. Você me pergunta por que o painel mais esperado no Hall H foi sobre Deadpool? Vamos pensar: Ora, o filme se chama Deadpool! Todo mundo ama Deadpool porque todo mundo tem um pouco de insanidade pronta pra por pra fora. E Deadpool, que no caso sou eu, é a perfeita combinação disso. Então eu sou a loucura de todo mundo. Agora, dizer que eu sou vulgar? Amigo, eu sou um perfeito modelo para as crianças. Eu os ensino a forma correta de segurar uma arma. Ensino como não dirigir feito um idiota. Sou um mestre em ensinar as crianças os 'sins' e os 'nãos' da vida. E qualquer um que diga o contrário pode conversar com minhas amigas aqui [mostra as armas].”

Foi assim que o paisagista Adam Medina, 27, explicou à reportagem do UOL na Comic-Con quem é Deadpool, esse herói, ou melhor, anti-herói que pouca gente ouviu falar, mas que é adorado por milhões de nerds.

A prova de sua popularidade aconteceu neste sábado (11), no Hall H, o maior salão de eventos da convenção que acontece todo ano na cidade de San Diego, ofuscando até os lançamentos de filmes como “Batman vs Superman” e “X-Men: Apocalipse”. A histeria foi tanta, que os fãs pediram bis do trailer do filme, deixando a mídia americana tentando entender o fenômeno que se esconde por trás desse nome.

Vulgar, boca suja, indisciplinado, o personagem que no cinema será interpretado pelo ator Ryan Reynolds, parece reunir tudo que os jovens mais adoram: irreverência, informalidade, mas sem perder o senso de justiça.

Outros fãs do personagem também deram suas opiniões sobre os atrativos de Deadpool, como, por exemplo, o fuzileiro naval Nate Avery, 24. “Deadpool não dá a mínima. Ele faz o que quer, e as pessoas gostariam de fazer isso mais frequentemente. Ele acaba sendo superior a outros heróis porque não tem um código moral muito estrito.”

Há ainda quem o adore por ele ser um misto de outros personagens e HQs. Pelo menos foi esta a opinião do estudante Marcello Martinolli, 18, que também estava na Comic-Con fazendo cosplay de Deadpool.

"Deadpool mistura vários gêneros de heróis, da DC à Marvel. E ele também quebra a quarta parede [ou seja, conversa com o público]. Todo mundo adora isso. Ele sabe que está em uma HQ ou em um filme e ele brinca com isso. Ele é muito pesado pra TV, por isso a chegada dele ao cinema foi tão esperada. Eu gosto dele porque ele não ouve qualquer merda de qualquer um e ele é seu próprio chefe.”

O personagem também faz sucesso entre as mulheres. A universitária Maerah Ahmed, 18, disse que Deadpool é diferente de todos os heróis da Marvel por sua falta de disciplina.

“Ele não é formal, é muito divertido e, mesmo assim, suas intenções são boas. E ele tem apelo com os mais jovens porque ninguém quer ser super disciplinado, certinho, perfeito. Superman, Batman, Capitão América são modelos inalcançáveis para a maioria das pessoas. Eles chegam a ser artificiais até. E o Deadpool é vulgar, usa gírias. Todo mundo se identifica. No começo eu estava um pouco cética quanto à escolha do Ryan Reynolds, mas depois vi que ele é bom pra criar esse tipo divertido e achei uma boa escolha. Melhor que Ben Affleck como Batman.”

Há, por fim, que goste do personagem por questões de projeção, como contou o pirotécnico Jared Dahlerbruch, 18. “Gosto do Deadpool porque o Ryan Reynolds é casado com Blake Lively. Então eu me projeto nele (risos).”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo