Filmes e séries

Para maiores de 18, filme em Gramado tem cena de estupro com Ney Latorraca

Reprodução/Instagram/gretaantoine
Cena do filme "Introdução à Música do Sangue", exibido no Festival de Gramado Imagem: Reprodução/Instagram/gretaantoine

Mariane Zendron

Do UOL, em Gramado

09/08/2015 17h11

Antes da sessão da noite deste sábado (8), o apresentador do Festival de Gramado Leonardo Machado avisou: “Hoje teremos na competição um filme para maiores de 18 anos”. O filme em questão é “Introdução à Música do Sangue”, filme de Luiz Carlos Larcerda (“Viva Sapato”) inspirado em texto do escritor Lúcio Cardoso.

A trama do filme cerca uma família, formada por Ernestina (Bete Mendes), Uriel (Ney Latorraca) e uma adolescente (Greta Antoine), no interior de Minas Gerais que vive sob a expectativa da chegada da luz elétrica.

Isolados nesse ambiente conservador, a repressão e o desejo sexual vão se revelando em cada um dos personagens. Apesar das belas imagens, filmadas à luz natural, a personagem de Greta aparece como objeto de desejo de todos os homens da trama, até daquele que traz a luz elétrica à fazenda.

Pelas longas cenas em que a personagem de Greta aparece nua ou mastigando vagarosamente uma goiaba bem vermelha, o roteiro parece mais dedicado à bela imagem da jovem do que o que ela sente ou pensa sobre essa situação. As mulheres ali aparecem sob o ponto de vista masculino, do fetiche.

Apesar do que revela na tela, o diretor disse ao UOL, na tarde deste domingo, que a mulher da trama, assim como na literatura de Lúcio Cardoso, está sempre lutando contra a repressão e para transgredi-la. “A personagem de Bete Mendes é quem comanda a casa. Ela não é submissa. A menina também está atrás da história dela, ela não é a gata borralheira, que espera”, afirmou.

A repressão sexual culmina em uma violenta e gráfica cena de estupro de Uriel com a adolescente. Durante debate sobre o filme, o diretor disse que a cena foi difícil de fazer, causou apreensão em Greta e emocionou toda a equipe.

Bete Mendes disse que se emocionou com a ação das mulheres no filme. “O filme é conduzido por nós duas. O filme todo a minha personagem diz o que quer. É a mulher que conduz e o homem que reage com violência, estupro”, analisou.

Sobre as cenas de Greta no espelho, em que ela se acaricia, o diretor disse que se trata da personagem reconhecendo a capacidade que tem como mulher. “Ela não é mulher-objeto, ela está olhando para as armas que tem, aquele peito lindo. A equipe toda ficou de pau duro”, concluiu o diretor, arrancando risadas de alguns jornalistas.

O filme de Lacerda está na competição do Festival de Gramado ao lado de “O Último Cine Drive-In” (DF), "O Fim e os Meios" (RJ), "Um Homem Só" (RJ), "O Outro Lado do Paraíso" (DF), "Ausência" (SP) e "Ponto Zero" (RS). 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
Reuters
Roberto Sadovski
do UOL
Cinema
EFE
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Jogos
Cinema
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
EFE
Da Redação
do UOL
do UOL
Topo