Filmes e séries

Elenco de "Vai que Cola" regravou cenas "corretas demais" para improvisar

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

01/10/2015 11h34

Sucesso na TV paga, o humorístico “Vai que Cola” estreia nesta quinta-feira (1º) nos cinemas com uma das marcas do programa, no ar há três anos no canal pago Multishow: o improviso. Algumas cenas chegaram a ser regravadas porque estavam “certinhas” demais para o diretor e o elenco.

“Fizemos duas vezes a cena do Valdomiro (Paulo Gustavo) com o Ferdinando (Marcus Majella) na praia, foi um plano-sequência longo. Assistimos e achamos corretíssima. Correta demais. Fizemos de novo, com a mesma narrativa. De repente, o Paulo deu uma rasteira no Majella, que se estabacou na areia, e disse: ‘Quero ficar sozinho na tela’. É a cara do Valdomiro e a cara do Paulo Gustavo. Eles têm intimidade em cena”, afirma o diretor César Rodrigues.

No filme, gravado em março deste ano e orçado em R$ 7,5 milhões, o entregador de quentinhas Valdomiro Lacerda (Paulo Gustavo) realiza o sonho de sair da pensão da Dona Jô (Catarina Abdalla), no Méier, zona norte do Rio de Janeiro, e ir para o Leblon, bairro nobre da zona sul carioca, porém cai em um golpe e precisa vender o apartamento luxuoso onde passou a morar. Ele também leva todos os colegas de pensão para a vida chique.

O elenco foi incentivado pelo diretor a improvisar no cinema da mesma forma como é feito na TV. Paulo Gustavo fala olhando para a câmera, menciona o filme e chama os atores pelos nomes reais. Essas intervenções também são marcas da sitcom do Multishow.

“O grande sucesso do ‘Vai que Cola’ e que conseguimos manter no filme é a gente sair do personagem e voltar. Nos divertimos em cena, tiramos sarro um do outro. Tem o tal do bullying, a gente fica se ‘bulinando’ o tempo inteiro”, brinca Fiorella Mattheis.

“A aposta é nessa espontaneidade. Quando eles dizem que são livres, não quer dizer ‘Faz aí’. Essa liberdade que eu peço está associada à naturalidade que eles podem projetar em cena”, explica César Rodrigues.

Inspiração em viral

Em outra cena na praia, Terezinha (Cacau Protásio) tenta dar um mergulho no mar e quase se afoga. A cena, segundo o diretor, foi inspirada em um vídeo amador que viralizou na internet, em que uma mulher aparentemente bêbada não consegue sair da água.

“Essa cena teria até helicóptero, mas quando vi simplesmente uma mulher sendo filmada de longe, tentando sair da praia e não conseguindo de tão bêbada, falei: ‘Esse é o 'Vai que Cola'’. Mostrei para a Cacau e falei para ela reproduzir a dificuldade da pessoa”, revela o diretor.

Cacau Protásio, que correu desesperada para o mar, conta que deixou crianças assustadas na cena e ficou exausta após se “afogar”. “Fingir que está se afogando é difícil. Saí do mar extremamente tonta e cansada. Tenho pena de quem já se afogou. A menininha [quase atropelada na cena] ficou apavorada, com medo de mim”, relembra.

Trailer de "Vai que Cola - O Filme"

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
Comportamento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
Reuters
BBC
do UOL
do UOL
EFE
Reuters
AFP
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
AFP
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
Topo