Filmes e séries

"Carol" lidera indicações ao Spirit Awards, o Oscar do cinema independente

Do UOL, em São Paulo

24/11/2015 16h28

Foram divulgados nesta terça-feira (24) os concorrentes ao Spirit Awards, considerado o Oscar do cinema independente. A premiação costuma ser um aquecimento para o Oscar e tem histórico de premiar os favoritos da academia.

O filme com mais indicações é "Carol", que tem Cate Blanchett e Rooney Mara como protagonistas. O drama concorre em seis indicações, seguido por "Spotlight" e "Beasts of no Nation", cada um com cinco.

Todos os filmes que concorrem ao prêmio principal também levaram seus diretores a disputar na categoria "melhor diretor". O único que entrou na lista e não concorre como "melhor filme" é David Robert Mitchell com o seu "Corrente do Mal".

Cate Blanchett e Rooney Mara disputarão o prêmio de melhor atriz pelo mesmo filme. "Carol" conta a história da jovem Therese (Rooney Mara), que trabalha em uma loja de brinquedos onde conhece Carol (Cate Blanchett), que está em processo de separação do marido Harge (Kyle Chandler). As duas acabam embarcando juntas numa viagem pelos Estados Unidos onde acabam vivendo um romance.

Dirigido por Todd Haynes, "Carol" estreou semana passada nos EUA e também é apontado como um dos favoritos ao Oscar. No Brasil, o filme estreia em 14 de janeiro.

Os vencedores do Spirit Awards serão anunciados em uma cerimônia no dia 27 de fevereiro, um dia antes do prêmio máximo do cinema, em uma cabana na praia de Santa Monica, na Califórnia.

Veja os indicados nas principais categorias:

Melhor filme

"Anomalisa"

"Beasts of No Nation"

"Carol"

"Spotlight"

"Tangerina"

 

Melhor diretor

Sean Baker, por "Tangerina"

Cary Joji Fukunaga, por "Beasts of No Nation"

Todd Haynes, por "Carol"

Charlie Kaufman & Duke Johnson, por "Anomalisa"

Tom McCarthy, por "Spotlight"

David Robert Mitchell, por "Corrente do Mal"

 

Melhor ator

Christopher Abbott, James White

Abraham Attah, de "Beasts of No Nation"

Ben Mendelsohn, de "Mississippi Grind"

Jason Segel, de "O Final da Turnê"

Koudous Seihon, de "Mediterranea"

 

Melhor ator coadjuvante

Kevin Corrigan, de "Resultados"

Paul Dano, de "Love & Mercy"

Idris Elba, de "Beasts of No Nation"

Richard Jenkins, de "Bone Tomahawk"

Michael Shannon, de "99 Homes"

 

Melhor atriz

Cate Blanchett, por "Carol"

Brie Larson, por "O Quarto de Jack"

Rooney Mara, por "Carol"

Bel Powley, por "The Diary of A Teenage Girl"

Kitana Kiki Rodriquez, por "Tangerina"

 

Melhor atriz coadjuvante

Robin Bartlett, por "H."

Marin Ireland, por "Glass Chin"

Jennifer Jason Leigh, por "Anomalisa"

Cynthia Nixon, por "James White"

Mya Taylor, por "Tangerina"

 

Melhor roteiro

Donald Margulies, por "O Final da Turnê"

Phyllis Nagy, por "Carol"

Tom McCarthy & Josh Singer, por "Spotlight"

S. Craig Zahler, por "Bone Tomahawk"

 

Melhor Fotografia

"Beasts of No Nation"

"Carol"

"Corrente do Mal"

"Meadlowland"

"Songs My Brothers Taught Me"

 

Melhor edição

"Beasts of No Nation"

"Amor, Drogas e Nova York"

"Corrente do Mal"

"O Quarto de Jack"

"Spotlight"

 

Melhor filme internacional

"El Abrazo de la Serpiente" (Colômbia)

"Garotas" (França)

"Mustang" (Turquia)

"O Filho de Saul" (Hungria)

 

Melhor filme de estreante

The Diary of a Teenage Girl

James White

Manos Sucias

Mediterranea

Songs My Brothers Taught Me

 

Melhor roteiro de estreante

Jesse Andrews, "Eu Você e a Garota Que Vai Morrer"

Joseph Carpignano, por "Mediterranea"

Emma Donoghue, por "O Quarto de Jack"

Marielle Heller, por "The Diary of a Teenage Girl"

John Magary, Russell Harbaugh, Myna Joseph, por "The Mend"

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
Reuters
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
Reuters
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Topo