PUBLICIDADE
Topo

Com informações exclusivas da PF, filme sobre Lava-Jato deve virar trilogia

Juiz Sérgio Moro será retratado no filme "Polícia Federal - A Lei é Para Todos" com outro nome - Rodolfo Buhrer/Reuters
Juiz Sérgio Moro será retratado no filme "Polícia Federal - A Lei é Para Todos" com outro nome Imagem: Rodolfo Buhrer/Reuters

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

09/05/2016 10h52

Não é só de manchetes que se vive a Operação Lava-Jato. Além de monopolizar o noticiário da TV, a investigação da Polícia Federal ganhará em breve conteúdo exclusivo nos cinemas.

“Polícia Federal  - A Lei é Para Todos” está em fase de pré-produção e deve iniciar as filmagens em agosto, inicialmente como trilogia. Mas, diferente da série de José Padilha sobre o tema, que será produzida pela Netflix, o filme não será baseado em nenhum livro, mas na própria PF.

Há um ano, o produtor Tomislav Blazic recebe consultoria da Polícia Federal com detalhes preciosos da investigação. “O importante é que nós temos as informações dos bastidores. A imprensa divulga os fatos, mas como se chegou a esses fatos? Quais problemas que surgiram? Os dramas que aconteceram em cada prisão?”, contou ao UOL.

O acordo entre a produção e a PF pede confidencialidade das informações. As dependências da Polícia Federal, assim como os helicópteros da instituição, serão usadas na filmagem.

“Procurei a PF e eles nos deram essa opção, entrevistamos os delegados federais da Superintendência da Polícia Federal de Curitiba e os procuradores do Ministério Público Federal de Curitiba para o roteiro”, conta o produtor. “Mas é um filme isento de questões partidárias”.

O juiz federal Sérgio Moro estará no filme, mas será apresentado como um personagem fictício – o que deve acontecer com todos os outros envolvidos na investigação. O elenco ainda está sendo fechado, mas deve contar com globais.

Com direção de Marcelo Antunez (co-diretor de “Até que a Sorte nos Separe 3” e "Um Suburbano Sortudo", ao lado de Roberto Santucci), “Polícia Federal” está sendo pensado como uma trilogia, devido a complexidade da investigação. Essa, inclusive, é o grande desafio da equipe no momento.

“Estamos vendo onde vamos parar no roteiro, porque a investigação não para”, observa o Blazic. “Com tanto conteúdo, queremos também transformá-la em série na TV aberta”.

A produção está na fase final de captação dos R$ 13 milhões autorizados pela Ancine. A distribuição será Paris Filmes e Downtown e a estreia está prevista entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017. 

Diretor Marcelo Antunez e produtor Tomislav Blazic em visita à Polícia Federal de Curitiba (PR) - Arquivo Pessoal/Tomislav Blazic - Arquivo Pessoal/Tomislav Blazic
Diretor Marcelo Antunez e produtor Tomislav Blazic em visita à Polícia Federal de Curitiba (PR)
Imagem: Arquivo Pessoal/Tomislav Blazic