PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Cumberbatch diz que "Doutor Estranho" foi um de seus papéis mais difíceis

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em San Diego (EUA)

23/07/2016 22h24

O Hall H da San Diego Comic-Con veio abaixo neste sábado (23) com a chegada do novo herói da Marvel ao palco: Benedict Cumberbatch, que já era amado pelo público por "Sherlock" e outros personagens e agora coloca um super-herói em seu currículo.

Cumberbatch disse que Doutor Estranho "é totalmente diferente" de tudo que fez antes. "É um personagem que ainda está entendendo sua realidade. Foi um dos personagens mais difíceis que já fiz", contou o ator, que já encarou desafios como uma montagem teatral de "Hamlet", de Shakespeare.

Tilda Swinton, Rachel MacAdams, Chiwetel Ejiofor, Mads Mikkelsen e Benedict Wong também participaram do painel. MacAdams, que interpreta uma amiga do protagonista, mas que tem um pouco mais de "história" com ele, falou sobre a relação com Cumberbatch. "Ficamos amigos, eu e Benedict. Ele é um dos atores mais talentosos que conheci".

Cartaz do filme "Doutor Estranho" - Divulgação - Divulgação
Cartaz do filme "Doutor Estranho"
Imagem: Divulgação

Swinton também foi muito aplaudida pelo público ao falar sobre a Anciã. "Ela é capaz de enxergar uma luz especial nas pessoas".

Vilão do filme, Mikkelsen disse que não daria esse título a seu personagem. "Ele acredita em um mundo melhor, um universo melhor, mas através de um caminho diferente".

Ao final da apresentação, o público pode ver 10 minutos de "Doutor Estranho", com cenas do herói interagindo com a Anciã, que lhe ensina artes milenares. As imagens mostram um tom místico, com o doutor Estranho saindo de seu corpo. O diretor Scott Derrickson explicou que esse tom vem da origem do personagem, nos anos 1960.

Referência a "A Origem" no trailer

Previsto para estrear em novembro deste ano, o filme conta a história de Stephen Strange (Benedict Cumberbatch), um brilhante e arrogante neurocirurgião que após um acidente de carro perde o controle de suas mãos. Em uma busca para recuperar suas antigas habilidades, ele descobre um mundo escondido de magia.

Stan Lee e Steve Ditko deram vida ao Dr. Estranho nos anos 1960, e de cara ele cavou um nicho fora das séries "normais" de super-heróis. "Eu não queria um mágico que falasse abracadabra", já disse Lee. "Então criamos todo um vocabulário místico para que ele parecesse mais casca-grossa." Enquanto isso, Ditko encarregou-se do vocabulário visual, criando realidades paralelas que encontraram muitos devotos entre os leitores de quadrinhos nos lisérgicos anos 60.

O filme segue essa mesma "ruptura" com a realidade, acompanhando a jornada do médico para descobrir seu verdadeiro propósito neste plano. Sua busca o leva até o Ancião (Tilda Swinton) e a descoberta de um mundo além do real. Entrecortando flashbacks e a ação no presente, Dr. Estranho é a entrada da Marvel em uma área dos quadrinhos ainda inexplorada no cinema, abrindo espaço para a introdução de novos personagens – e ameaças.

O novo trailer de vai fundo na raiz psicodélica do personagem. Visualmente, o diretor Scott Derrickson traduziu o rompimento das barreiras entre as dimensões de maneira elegante e belíssima: como espelhos que servem de portais entre pontos diferentes do planeta.

A referência visual mais imediata é "A Origem", de Christopher Nolan, com o horizonte das cidades dobrado, desafiando as leis da física. Curiosamente, o personagem de Chiwetel Ejiofor, o Barão Karl Mordo, é apresentado como aliado de Strange, sendo que nos quadrinhos ele se torna seu inimigo mais feroz. O vilão aqui é Mads Mikkelsen, Kaecilius, que obviamente não se vê com um propósito maligno, e sim como alguém destinado a salvar o universo, não importa o custo. Rachel McAdams e Benedict Wong completam o elenco.

Entretenimento