Topo

Filmes e séries


Na corrida pelo Oscar, "Pequeno Segredo" captou R$ 4 milhões em incentivos

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

13/09/2016 19h04

O drama "Pequeno Segredo", escolhido para disputar a indicação brasileira ao Oscar 2017 de filme estrangeiro, foi autorizado a captar R$ 9,7 milhões por meio da Lei do Audiovisual, sendo que efetivamente levantou R$ 4 milhões. Os dados são oficiais, publicados no site da Ancine.

"Aquarius", que vinha sendo apontado como favorito à indicação, foi autorizado a captar R$ 2,9 milhões, mas só conseguiu arrecadar R$ 1,95 milhões.

A lei 8.685/93, conhecida como Lei do Audiovisual, é um mecanismo do governo federal que permite que os patrocinadores de produções cinematográficas e televisivas abatam do imposto de renda parte dos valores investidos.

Há ainda outras formas de incentivo público ao cinema --como o Fundo Setorial do Audiovisual e leis estaduais e municipais. Para esta reportagem, foram levados em consideração apenas os valores captados através da Lei do Audiovisual.

Dos 16 longas inscritos para disputar a indicação brasileira ao Oscar 2017 de filme estrangeiro, o escolhido "Pequeno Segredo" foi o quarto filme que mais captou verba através da Lei do Audiovisual, perdendo apenas para “Chatô” (R$ 8,6 milhões), “Tudo Que Aprendemos Juntos” (R$ 6,7 milhões) e “Vidas Partidas” (R$ 6,1 milhões).

Da lista dos indicados, “Pequeno Segredo”, dirigido por David Schurmann, é também o único filme que ainda não estreou, com previsão para entrar em cartaz nacionalmente no dia 10 de novembro, com uma estreia menor em 22 de setembro, para se adequar às regras do Oscar, que exige que o filme fique em cartaz em seu país de origem por pelo menos sete dias antes de 30 de setembro de 2016.

Schurmann é integrante da família que foi a primeira tripulação brasileira a dar a volta ao mundo em um veleiro, e "Pequeno Segredo" conta a história de Kat, a menina portadora de HIV adotada pela família em uma de suas viagens. Julia Lemmertz, Maria Flor e Marcelo Antony integram o elenco.

Guilherme Fontes, diretor de "Chatô", o filme da lista que mais arrecadou dinheiro incentivado, reclamou em um texto publicado no Facebook da escolha de “Pequeno Segredo”. "O Ministério da Cultura, junto com Luis Carlos Barreto foram os responsáveis por mais de 15 anos de atraso do (meu) filme e o TCU afirma que eles estavam errados (...) E agora eles indicam ao Oscar um filme que ninguém viu. Patético".

Os produtores do filme "Pequeno Segredo" foram procurados, por meio de sua assessoria de imprensa, pela reportagem do UOL, mas não responderam até a publicação deste texto.

Confira a lista completa dos filmes que disputaram a indicação e quanto cada um deles arrecadou através da Lei do Audiovisual:

1 - “Chatô - O Rei do Brasil” - R$ 8.640.999,99
2 - “Tudo que Aprendemos Juntos” - R$ 6.767.286,61
3 - “Vidas Partidas” - R$ 6.140.000,00
4 - “Pequeno Segredo” - R$ 4.000.000,00
5 - “Campo Grande” - R$ 3.750.000,00
6 - “Mais Forte que o Mundo” - R$ 3.300.000,00
7 - “Roubo da Taça” - R$ 2.300.100,00
8 - “O Outro Lado do Paraíso” - R$ 2.170.000,00
9 - “Aquarius” - R$ 1.950.000,00
10 - “Uma Loucura de Mulher” - R$ 1.632.953,98
11 - “Nise - Coração da Loucura” - R$ 1.435.918,00
12 - “Menino 23” - R$ 1.200.000,00
13 - “A Despedida” - R$ 661.769,30
14 - “Até Que a Casa Caia” - R$ 0,00
15 - “O Começo da Vida” - não utilizou a Lei do Audiovisual
16 - “A Bruta Flor do Querer” - não utilizou a Lei do Audiovisual