Filmes e séries

"A Bela e a Fera" bate recorde com US$ 170 milhões em estreia nos EUA

Do UOL, em São Paulo

O filme "A Bela e a Fera" aqueceu a bilheteria do cinema norte-americano em seu fim de semana de estreia no país.

O longa arrecadou US$ 170 milhões, batendo o recorde de "Batman vs Superman" -- que até então ostentava o título de melhor estreia do mês de março da história, com US$ 166 milhões. Ao redor do mundo, o filme fez US$ 350 milhões de bilheteria nos cinemas. O conto de fadas foi bem em países como China (US$ 44,8 milhões), Reino Unido (US$ 22,8 milhões) e Coreia do Sul (US$ 10,7 milhões).

O filme, que começou a ser exibido na última quinta-feira no Brasil, ainda vai estrear em países como França, Austrália e Japão. 

A história clássica da Disney, em nova roupagem, também pode ser considerada um recorde de bilheteria na carreira de Emma Watson, ficando à frente dos números do último longa da franquia de Harry Potter.

"A Bela e a Fera" é o novo marco de sucesso da Disney. A companhia também foi bem ao redor do mundo com as bilheterias de "Alice no País das Maravilhas" (US$ 1 bilhão) e "Cinderella" (US$ 543 milhões). Os planos da Disney incluem, ainda, fazer novas versões de "Dumbo" e "Mulan".


Novo "A Bela e a Fera": "Verdadeira beleza"

O remake de "A Bela e a Fera" com atores de carne e osso foi elogiado pelos críticos. A história foi descrita como "mágica" e com atuações convincentes, principalmente a da protagonista Emma Watson.

"O novo 'A Bela e a Fera' melhora a animação clássica. Abraçando sua natureza de musical e adicionando profundidade em uma narrativa familiar, esse live-action é uma verdadeira beleza", escreveu Brian Truitt do "USA Today".

"Pronto para proclamá-lo o musical à moda antiga do ano? Fique à vontade", definiu o crítico Stephen Whitty, do "New York Daily News". "Emma Watson é uma real protagonista aqui, e fisicamente não poderia ter sido uma escolha melhor para o papel", entende Emily Yoshida, da revista "Vulture".

"Barulho por nada?"

A estreia da nova versão de "A Bela e a FEra" foi adiada na Malásia por conta de "um momento gay" no filme.

O crítico Roberto Sadovski, do UOL, considerou que a cena entre os personagens LeFou (Josh Gad) e Gaston (Luke Evans) "fez muito barulho por nada".

"Existe um temor sem o menor propósito de certos 'defensores da família' que a arte, principalmente a Disney, abra mais espaço em suas obras para, simplesmente, mostrar o mundo como ele é: um caldeirão de diversidade. Para essa fatia do público, não existe pecado maior que o estúdio colocar em um de seus maiores produtos do ano um personagem gay. Acho que essa turma que gosta de barulho vai se decepcionar", disse Sadovski. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
AFP
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
Da Redação
TV e Famosos
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Reuters
UOL Entretenimento
EFE
EFE
UOL Cinema - Imagens
do UOL
UOL Cinema - Imagens
TV e Famosos
Erratas
UOL Entretenimento
TV e Famosos
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
Reuters
EFE
do UOL
EFE
Reuters
Reuters
TV e Famosos
do UOL
do UOL
Topo