Topo

Filmes e séries

Com protagonista fofa e nome complicado, série ganha público no boca a boca

Divulgação/Netflix
Anne Shirley (Amybeth McNulty), Marilla Cuthbert (Geraldine James) e Matthew Cuthbert (R.H. Thomson), família protagonista da série "Anne With An E" Imagem: Divulgação/Netflix

Do UOL, em São Paulo

11/07/2017 04h00

Lá em maio, quando o assunto entre os fãs de séries eram as novas temporadas das badaladas "Sense 8" e "House of Cards", uma produção nova chegou tímida ao catálogo da Netflix: "Anne With An E". Baseada em "Anne of Green Gables", romance canadense publicado em 1908, a série de nome complicado para quem fala português (significa Anne com E) foi conquistando fãs na base do boca a boca. Quem vê faz questão de indicar para os amigos e família, quase como um apelo para que a magia da ruivinha tagarela se espalhe.

A história da órfã de 13 anos que nunca teve uma família e acaba adotada por engano por um casal de irmãos idosos encanta e faz chorar. Mesmo sendo de época, a série traz assuntos atuais e essenciais - como bullying, casamento gay e feminismo - com uma abordagem delicada, mas não menos profunda. Usando a imaginação e o otimismo como base para fugir dos problemas que a cercam, Anne é uma protagonista realmente cativante. Quem dá vida a ela é a jovem atriz irlandesa Amybeth McNulty.

Divulgação
Anne Shirley (Amybeth McNulty) e Matthew Cuthbert (R.H. Thomson) em cena da série "Anne With An E" Imagem: Divulgação

O carisma da protagonista aliado à produção cuidadosa, com fotografia e trilha sonora impecável, geraram um fenômeno curioso. Além de agradar o público fiel de séries, geralmente mais jovem e ligado em internet, "Anne With An E" acabou acidentalmente como uma boa introdução para quem nunca consumiu o formato.

"Foi a primeira série que minha mãe assistiu. Ela ficou tão envolvida que descobriu os prazeres de uma boa maratona e assistimos em dois dias. Ela ainda está revoltada por ter que esperar uma nova temporada, só fala nisso", comentou João Sampaio em umas das postagens da Netflix no Facebook divulgando a série.

Outras dezenas de comentários seguem a mesma linha, com muitas tias ou avós tão apaixonadas pela série quanto seus filhos, netos e sobrinhos. "Me apaixonei perdidamente pela Anne! O melhor de tudo foi a minha tia que nunca assistiu uma série e está até hoje me perguntando quando que vai continuar 'aquele filme demorado de acabar' pra ela saber o final. Tentei explicar como funciona uma série, mas ela não entendeu", escreveu Aryanna Luyslla sobre sua experiência.

Segunda temporada?

Divulgação/Caitlin Cronenberg/Netflix
Amybeth McNulty, a Anne de "Anne With An E" Imagem: Divulgação/Caitlin Cronenberg/Netflix

Produzida para a TV canadense, a série se chamava apenas "Anne" até a Netflix adquirir os direitos para a distribuição internacional e acrescentar um "With An E" ao nome, brincando com a insistência da personagem em explicar que seu nome se escreve e pronuncia com a letra E no final. No Brasil e em outros países, "Anne With An E" chega como um produto original do serviço de streaming.

Com 7 episódios de cerca de 44 minutos (apenas o primeiro deles tem 1 hora e 28 minutos), a história de Anne ainda não tem previsão para uma segunda temporada, apesar dos diversos apelos como "Netflix, prometo até ficar sem comer chocolate. Por favor, disponibilizem a segunda temporada" ou "Quando não chorava de pena, chorava de emoção. Desidratei com essa série. Quero segunda temporada para chorar mais!"

Os fãs órfãos da história da órfã apelam para o livro, que só tem sua primeira edição publicada no Brasil com o título de "Anne de Green Gables". O sucesso do primeiro romance fez a escritora L. M. Montgomery produzir outros cinco volumes que nunca chegaram a ser traduzidos para o português. Enquanto a continuação não vem, a boa notícia é que não faltarão novas histórias para que a série ganhe outras temporadas.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!