PUBLICIDADE
Topo

Filme sobre Lava Jato abriu mão de verba de incentivo para evitar conflito

Cena do filme "Polícia Federal - A Lei É Para Todos - Reprodução
Cena do filme "Polícia Federal - A Lei É Para Todos Imagem: Reprodução

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

30/08/2017 19h10

Orçado em cerca de R$ 16 milhões, o filme "Polícia Federal - A Lei É para Todos", que mostra as investigações da operação Lava Jato, foi financiado exclusivamente com dinheiro privado, segundo os produtores.

Em sua fase inicial, no entanto, o projeto estava inscrito na Lei do Audiovisual, autorizado a captar via dedução fiscal cerca de R$ 7 milhões junto a empresas privadas.

O processo, segundo a equipe, foi cancelado pelos próprios produtores em abril de 2016, e motivo não está relacionado a dificuldades de captação, pelo contrário.

Da esq para direita_Antonio Calloni, o diretor Marcelo Antunes, atriz Beth Zalcma e Ary Fontoura em "Polícia Federal - A Lei é Para Todos" - Ique Esteves/Divulgação - Ique Esteves/Divulgação
O ator Antonio Calloni e o diretor Marcelo Antunez
Imagem: Ique Esteves/Divulgação

"Sou totalmente a favor das leis de incentivo, são fundamentais para o desenvolvimento do nosso cinema. Mas percebemos que havia um potencial de mídia e seria mais fácil atrair investidores", disse ao UOL o diretor Marcelo Antunez.

A ideia dos realizadores: "evitar conflito de interesses". "Usar dinheiro público para falar do mal uso de dinheiro público nos deixaria presos e alvo de críticas. Mas acabamos sendo criticados também por não usar. Não temos para onde correr", completou Antunez.

Ele conta ainda que, temendo críticas, as empresas investidoras pediram para não terem nomes divulgados. Sem a inserção da marca no filme e em produtos de divulgação, o retorno financeiro virá apenas dos lucros em bilheteria. Por questão contratual, a equipe não divulgou o percentual destinado aos patrocinadores.

Para redigir o contrato, os produtores também acionaram advogados para criar outra cláusula, em que as companhias se comprometem a não estarem envolvidas em casos de corrupção. "É uma coisa que várias empresas estão fazendo hoje em dia, com todas essas denúncias. E esse nosso acordo vale para todos, desde nós, os atores e toda nossa equipe técnica", disse o roteirista Tomislav Blazic.

28.ago.2017 - Os juízes federais Sergio Moro e Marcelo Bretas acompanham sessão de gala do filme "Policia Federal - A lei é para todos", sobre a operacao Lava Jato, em Curitiba (PR) - Theo Marques/Folhapress - Theo Marques/Folhapress
Sergio Moro ganha pipoca de Marcelo Bretas na pré-estreia do filme
Imagem: Theo Marques/Folhapress

"É preciso deixar claro que esse filme não tem objetivo político. Eu não sou ligado a nenhum partido político. Quem me conhece sabe que sou um cara que veio da esquerda. Votei no Lula. Esperamos que o filme promova o debate saudável, sem maniqueísmo nem demagogia", falou Antunes.

Com Antônio Calloni, Flávia Alessandra e Ary Fontoura, "Polícia Federal - A Lei É para Todos" estreia no feriado de 7 de setembro. Cercado de polêmica, o longa reconstrói passo a passo a operação Lava Jato, até a condução coercitiva do ex-presidente Lula. Baseada no livro homônimo de Carlos Graieb e Ana Maria Santos, o filme deve render ainda outras duas continuações.