PUBLICIDADE
Topo

Harvey Weinstein assediou Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie, revelam atrizes

As atrizes Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie, que revelaram terem sido assediadas pelo produtor de Hollywood Harvey Weinstein - Getty Images
As atrizes Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie, que revelaram terem sido assediadas pelo produtor de Hollywood Harvey Weinstein Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo*

10/10/2017 14h39

Pouco mais de uma semana após uma reportagem do "The New York Times" desvelar diversos casos de assédio por parte do produtor de cinema Harvey Weinstein, as atrizes Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie revelaram nesta terça (10) em entrevista ao jornal também terem sido vítimas do todo poderoso chefão de Hollywood.

Gwyneth Paltrow relembra quando, aos 22 anos, foi selecionada para o papel principal no filme "Emma". A atriz foi convidada para uma reunião com o produtor executivo na suíte dele em um hotel de Beverly Hills. Era Harvey Weinstein. Ele a tocou e sugeriu que fossem ao quarto para uma massagem. "Eu era uma criança, tinha acabado de assinar o contrato, fiquei petrificada", diz sobre a situação.

Ela se recusou a ir ao quarto e contou o episódio para Brad Pitt, seu namorado na época. Pitt teria conversado com Weinstein, que depois ainda ameaçou a atriz caso ela contasse o episódio a mais alguém. "Eu jurava que ele iria me demitir", lembra Gwyneth. Procurado pelo jornal, Brad Pitt confirmou a história da ex-namorada.

Gwyneth Paltrow em cena de "Emma" - Reprodução - Reprodução
Gwyneth Paltrow em cena de "Emma"
Imagem: Reprodução

Angelina Jolie em cena do filme "Corações Apaixonados" - Divulgação - Divulgação
Angelina Jolie em cena de "Corações Apaixonados"
Imagem: Divulgação

Outra grande atriz de Hollywood, Angelina Jolie também admitiu ao jornal ter sido assediada pelo mesmo produtor. "Tive uma experiência péssima com Harvey Weinstein na minha juventude, e depois disso escolhi nunca mais trabalhar com ele e alertar outras pessoas sobre o que ele fez", resumiu. "Esse comportamento em relação às mulheres em qualquer campo, em qualquer país, é inaceitável."

As investidas do produtor em Angelina Jolie teriam acontecido durante a divulgação do filme "Corações Apaixonados", lançado no início de 1999. A atriz conta ter rejeitado vários convites para ir até o quarto de hotel dele. Ela tinha 23 anos. Rosanna Arquette, estrela de "Pulp Fiction", e a atriz francesa Judith Godrèche também contam histórias parecidas sobre o mesmo produtor. 

A atriz britânica Romola Garai também contou ao "The Guardian" ter se sentido violentada por Weinstein ao passar por uma audição humilhante com ele, o que considerou um abuso de poder. Há ainda acusações de que Harvey Weinstein teria pago acordos com algumas mulheres pelo silêncio sobre os abusos que começaram na década de 1990 e continuaram até 2015.

Quase todos os relatos das abusadas seguem uma fórmula parecida. O produtor convidava as mulheres para um local privado para discutir os filmes, roteiros e até mesmo campanhas para o Oscar. Depois, tocava as atrizes de forma inapropriada, as convidava para sessões de massagem, tirava sua roupa e até mesmo oferecia claramente papéis em filmes em troca de favores sexuais.

Casos de estupro

22.mai.2014 - Asia Argento mostra tatuagens e músculos em Cannes. A atriz levou ao festival sua nova aventura na direção com o filme "Incompresa" - AFP - AFP
A atriz Asia Argento, famosa pro "Triplo X" diz ter recebido sexo oral do produtor
Imagem: AFP

Além das duas reportagens do "The New York Times", a revista "New Yorker" também publicou outras denúncias bastante graves contra Harvey Weinstein nesta terça (10). A atriz e diretora italiana Asia Argento revela ter sido estuprada pelo produtor. "Ele fez sexo oral em mim à força", revelou à revista. "Sei que ele assediou e calou muito mais gente antes", conta, dizendo que, por isso, levou 20 anos para contar a sua história.

Três mulheres entre elas, Asia e a atriz Lucia Evans dizem terem sido forçadas a praticar sexo oral e vaginal, o que configura estupro. Outras dez mulheres revelaram toques inapropriados, e algumas foram obrigadas a presenciar o produtor de cinema se masturbando. Nos dez meses de investigação que levaram às reportagens, 13 mulheres relataram terem sido assediadas por Harvey Weinstein.

Reações

Enquanto várias atrizes se solidarizaram com as vítimas do todo poderoso de Hollywood —incluindo Meryl Streep, Jennifer Lawrence, Kate Winslet e Lena Dunham e Judi Dench, algumas reclamaram dos poucos homens que haviam se manifestado diante das graves denúncias.

Depois das reportagens desta terça, Ben Affleck foi um dos atores a reagir com um comunicado em suas redes sociais. George Clooney também se pronunciou.

"Isso é completamente inaceitável e até mesmo me questiono o que posso fazer para que isso nunca mais aconteça com mais ninguém. Nós precisamos ser melhores em proteger nossas irmãs, amigas, companheiras de trabalho e filhas. Temos que apoiar as vítimas e condenar esse tipo de comportamento quando presenciarmos, ajudando a colocar mais mulheres em posição de poder", escreveu Aflleck.

Já Clooney disse ter sido questionado se não sabia da situação. "Muitas pessoas estão dizendo que obviamente eu sabia, e sim, se você perguntar se eu sabia que alguém que muito poderoso tinha uma tendência de dar em cima de mulheres jovens e bonitas, claro. Mas eu não tinha ideia de que tinha chegado ao nível de ter que pagar oito mulheres pelo seu silêncio, e que essas mulheres foram ameaçadas e vitimizadas", resumiu o ator.

Consequências

Harvey Weinstein no tapete vermelho do Oscar 2017 - Mike Blake/Reuters - Mike Blake/Reuters
Harvey Weinstein no tapete vermelho do Oscar 2017
Imagem: Mike Blake/Reuters

Em declaração ao "New York Times" após a primeira reportagem publicada na semana passada, o produtor não negou as acusações. "Considero que o modo como me comportei com colegas no passado causou muita dor e peço minhas sinceras desculpas por isso", disse o magnata dos filmes. Ele ainda comunicou que vai tirar uma licença para "lidar com essa questão". Harvey Weinstein também foi demitido de seu próprio estúdio, a Weinstein Company, no último domingo.

Já sobre as declarações de estupro, a porta-voz de Weinstein, Sallie Hofmeister, disse nesta terça que "quaisquer acusações de sexo não consensual são inequivocamente rejeitadas pelo sr. Weinstein".

"O sr. Weinstein obviamente não pode falar para acusações anônimas, mas no que diz respeito a quaisquer mulheres que fizeram acusações sobre a questão, o sr. Weinstein acredita que todos estes relacionamentos foram consensuais", finaliza.

*Com informações da Reuters