Topo

Filmes e séries


Dieta e filme pornô: J. Lawrence revela situações humilhantes em Hollywood

Divulgalção
Jennifer Lawrence em cena de Mãe! Imagem: Divulgalção

Do UOL, em São Paulo

2017-10-17T13:10:08

17/10/2017 13h10

Jennifer Lawrence esteve presente na cerimônia da "Elle Woman" e revelou situações degradantes pelas quais passou durante seu início em Hollywood. Abordando temas como assédios sexuais na indústria, a vencedora do Oscar lembrou da vez que um produtor pediu para que ela emagrecesse 7 kg em apenas duas semanas para conseguir um papel. 

"Uma garota antes de mim já tinha sido demitida por não conseguir emagrecer tão rápido", disse ao site "Yahoo". "Durante esse tempo, uma produtora me colocou em uma linha com cinco mulheres nuas e muito mais magras do que eu. Estávamos todas lado a lado com apenas fitas cobrindo nossas partes. Depois dessa humilhante fila, a produtora disse que eu deveria usar as fotos nuas como inspiração para minha dieta", acrescentou.

"O diretor daquele filme me perguntou se eu estrelaria um pornô assim como outras coisas que seriam inapropriadas dizer aqui. Eu pedi para conversar com um produtor sobre a dieta surreal e ele me respondeu que não sabia por que as pessoas me achavam tão gorda. Ele achou que fosse perfeitamente 'comível'", esclareceu a atriz.

Desde que estourou em Hollywood, com o sucesso de "Jogos Vorazes", Jennifer Lawrence precisa rebater críticas sistemáticas sobre o seu peso. "Em Hollywood, sou obesa. Sou considerada uma atriz gorda. Como igual a um homem das cavernas. Serei a única atriz de que não será envolvida em boatos de anorexia", falou a atriz logo após o sucesso do filme em 2012.

A violência contra as mulheres na indústria cinematográfica dos EUA veio à tona na semana passada, quando uma reportagem publicada pelo "The New York Times" revelou que o influente produtor Harvey Weinstein assediou mulheres durante décadas.  

Com o passar dos dias, o número de denúncias explodiu. Nomes de peso da indústria, como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Mira Sorvino e Rosanna Arquette também acusaram o produtor de abuso sexual ou estupro. Weinstein, que ao lado do irmão Bob construiu uma fábrica de sucessos de bilheteria, com 80 premiações do Oscar e mais de 300 indicações, deixou o seu cargo na empresa que fundou e foi expulso do Sindicato dos Produtores. 

Nesta terça-feira uma outra atriz famosa revelou que foi abusada por Weinstein. Lena Headey, a rainha Cersei de "Game of Thrones", falou que o produtor insinuou uma vaga em um filme em troca de sexo. "Eu entrei no meu carro e chorei", falou a atriz ao "Hollywood Reporter".

A cantora Bjork também afirmou nesta terça-feira ter sofrido assédio sexual de um "diretor dinamarquês", que embora ela não cite o nome trata-se de Lars von Trier, que a dirigiu em "Dançando no Escuro". "Depois de cada tomada, o diretor colocava seus braços em volta de mim por um longo tempo na frente de toda a equipe ou quando estava sozinho, e me acariciava por vários minutos, contra a minha vontade", disse a cantora. "Enquanto filmávamos na Suécia, ele ameaçou subir da varanda do seu quarto para o meu no meio da noite, com intenções claramente sexuais, enquanto sua mulher estava no quarto ao lado. Eu escapei para o quarto dos meus amigos", completou.