PUBLICIDADE
Topo

Acusado de pedofilia em filme premiado, Daniel de Oliveira defende Caetano

Daniel de Oliveira em cena do filme "Aos Teus Olhos" - Daniel Chiacos/Divulgação
Daniel de Oliveira em cena do filme "Aos Teus Olhos" Imagem: Daniel Chiacos/Divulgação

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

26/10/2017 18h36

Daniel de Oliveira pode sentir a voracidade do tribunal da internet na pele de Rubens, papel dele em "Aos Teus Olhos", filme que levou quatro prêmios no Festival do Rio, entre eles o de melhor ator para Daniel, e passa agora pela Mostra Internacional de Cinema, em São Paulo.

Rubens é um professor de natação e dá aulas para crianças em um clube. Após uma acusação de ter beijado a boca de um aluno de 10 anos, ele vê sua vida e carreira desmoronarem com trocas de mensagens no WhatsApp e acusações no Facebook.

Julgado no filme como pedófilo pelos pais dos outros alunos e até mesmo por seus colegas de trabalho antes mesmo de a polícia se envolver, o ator reflete sobre casos recentes também envolvendo acusações semelhantes.

"Vamos lançar num momento de convulsão social", comenta Daniel em entrevista ao UOL sobre a coincidência de "Aos Teus Olhos" sair no mesmo momento em que a internet ainda acompanha discussões quentes como a performance em que uma criança toca um homem nu no MAM e a condenação de Caetano Veloso por grupos como o MBL e seus seguidores.

"Como podemos, por exemplo, entender os ataques recentes a um dos maiores artistas desse país que é o Caetano Veloso? Um cavalheiro de fina estampa como ele, deveria ser tratado com honraria. Caetano fez e faz muito pelo país com sua inteligência e delicadeza, seu ritmo e sua voz. Caetano e muitos outros artistas enaltecem esse país e me dão esperanças", diz o ator.

Dirigido por Carolina Jabor, "Aos Teus Olhos" chega ao circuito comercial no primeiro semestre de 2018. O longa faz parte da programação da 41ª Mostra Internacional de Cinema e tem sessões nesta quinta (26), sábado (28) e domingo (29) no Cinearte 1 (21:50), Espaço Itaú Frei Caneca 5 (15:40) e Cinesesc (16:50), respectivamente.

Leia a entrevista com Daniel de Oliveira, protagonista de "Aos Teus Olhos":

UOL: "Aos Teus Olhos" joga para o espectador a responsabilidade de decidir qual lado escolher. Falando como Daniel de Oliveira, e não como Rubens, de que lado ficaria?
Daniel: Achei muito interessante o fato de o filme não dar a resposta final. Um filme mais careta te tranquilizaria no fim, mas não é o caso de "Aos Teus Olhos", que mexe com cada um que assiste. Na verdade, o mais importante do filme, a meu ver, é o fato da condenação vir antes mesmo do julgamento. Através das redes sociais, Rubens foi julgado e condenado antes mesmo de saber da acusação. Quando sair de cartaz eu dou minha resposta.

Fazer esse filme mudou sua forma de se relacionar com as redes sociais?
Entendo o fenômeno das redes sociais e vejo a importância que estão ganhando em todas as áreas. Mas eu prefiro ficar um pouco mais reservado e sempre fui dessa forma, antes mesmo da existência dessa comunicação mais veloz e imediata. Uma coisa que fica depois do filme é exatamente o fato de ser pai de três meninos, em idades diferentes e que certamente vão participar do universo das redes sociais. Já estou curioso em vivenciar os próximos passos tecnológicos. Mas uma coisa é certa: temos que preparar a próxima geração com mais generosidade, respeito e amor. Fazer com que entendam que a internet pode ser uma ferramenta de melhora pessoal e coletiva e não um campo de batalha.

Qual impacto espera deixar com um personagem como o Rubens?
É curioso como o Rubens atinge cada um que assiste. Muitas pessoas me falam sobre a dubiedade do personagem. A dúvida paira no ar em muitos momentos... Às vezes uma frase, um olhar, modifica a opinião do espectador. E logo na outra cena, muda novamente a opinião. Espero que muitas pessoas assistam se colocando na pele do Rubens, do pai, da mãe... A reflexão é sempre importante para a melhora social.

Como se sente ao protagonizar um filme com essa temática justamente quando um caso como o do MAM acontece?
Vamos lançar num momento de convulsão social, pois o que aconteceu no Museu foi exatamente isso. Muitas vozes, cada um opinando de um jeito. Gente opinando até mesmo sem saber ou entender o que se passou. Temos sempre os dois lados da moeda. O que bom, né? As redes sociais democratizando as opiniões.

A grande pena é que vivemos num país que de uma forma geral, não valoriza a educação. Com a educação teríamos a oportunidade de entender melhor as relações humanas e para que serve tudo que existe ao nosso redor. Cultura, religião, arte, política, sentimentos.

Como podemos, por exemplo, entender os ataques recentes a um dos maiores artistas desse país que é o Caetano Veloso? Um cavalheiro de fina estampa como ele, deveria ser tratado com honraria. Caetano fez e faz muito pelo país com sua inteligência e delicadeza, seu ritmo e sua voz. Caetano e muitos outros artistas enaltecem esse país e me dão esperanças.

Acredita que as redes sociais deram força aos inconsequentes?
A palavra pode ser de todos, mas por favor, não podemos absorver as ideias dos imbecis, dos reacionários, dos preconceituosos, dos extremistas e todos os que têm ódio no coração. Na internet ou fora dela. Vamos suaves nesse mundo pois somos apenas uma poeira fina entre bilhões de sóis e estrelas.