PUBLICIDADE
Topo

Kevin Spacey é criticado após assumir ser gay e pedir desculpas por assédio

Claire (Robin Wright) e Francis (Kevin Spacey) dão risada na cara dos limites na nova temporada de "House of Cards" - Divulgação/Netflix
Claire (Robin Wright) e Francis (Kevin Spacey) dão risada na cara dos limites na nova temporada de "House of Cards" Imagem: Divulgação/Netflix

Do UOL, em São Paulo

30/10/2017 10h04

Kevin Spacey usou as redes sociais no domingo (29) à noite para revelar, pela primeira vez, que teve relacionamentos com outros homens e que "escolhe viver agora como um homem gay". O norte-americano ainda pediu desculpas depois de ter sido acusado de assediar um ator adolescente há mais de trinta anos.

As acusações contra Spacey foram feitas somente agora pelo ator da nova série "Star Trek: Discovery" Anthony Rapp que o acusou de tê-lo assediado sexualmente em uma festa em 1986. Na época, ele tinha 14 anos de idade. 

Jornalistas, atores, comediantes e integrantes da comunidade gay se revoltaram com a forma como o intérprete de Kevin Underwood, de "House of Cards", decidiu revelar a sua orientação sexual e, segundo os críticos, diminuiu as alegações contra ele de assédio e pedofilia.

"Assédio sexual não é sobre sexualidade. Assédio sexual é sobre poder", opinou o ator Jordan Gavaris, da série "Orphan Black".

"Harvey Weinstein: 'Vou combater a ANR [Associação Nacional de Rifles]; Kevin Spacey: "Sou gay". Mesma história e distrações diferentes", considerou o jornalista Yashar Ali, da "New York Magazine".

Richard Lawson, da "Variety", definiu: "Revelar ser gay não é a mesma coisa que se revelar como alguém que molestou [um menino de] 14 anos. Conflitar essas coisas é repugnante. Isso expõe a comunidade gay para milhões de críticas antigas e conspirações".

"A distância que tivemos de caminhar para se livrar dessa noção que somos [a comunidade gay] todos pedófilos é significante. Para uma pessoa famosa desviar tais acusações como uma demorada 'saída do armário' é tão cruel para a suposta nova comunidade dele que machuca", completou.

"Vários argumentos no meu feed sobre Kevin Spacey ter se assumido. Isso não é no que devemos nos focar. Ele machucou uma criança!", escreveu MariaElena Martinez, do "Vulture".

Rose Mcgowan, que revelou que foi estuprada pelo produtor Harvey Weinstein, também comentou sobre o caso. "Bye-bye, Kevin Spacey. É a sua hora de chorar, por isso temos que dizer adeus".

Entenda o caso

Em entrevista ao site "BuzzFeed News", Anthony Rapp relatou que Spacey aparentava estar bêbado quando o suposto incidente ocorreu. Ele estava sentado na beira de uma cama, quando o vencedor do Oscar, hoje com 58 anos, entrou no quarto.

"Ele me carregou no colo como um noivo carrega a noiva. Mas eu não me afastei inicialmente, porque estava me perguntando: 'o que está acontecendo?'. Ele, então, se deitou em cima de mim", disse Rapp.

Leia também

"Ele estava tentando me seduzir. Eu tinha noção de que ele estava querendo investir em mim sexualmente", acrescentou o ator, que disse ter conseguido ir ao banheiro e escapar.

Anthony Rapp no papel de Paul Stamets na nova série: "Star Trek: Discovery" - Divulgação - Divulgação
Anthony Rapp no papel de Paul Stamets na nova série: "Star Trek: Discovery"
Imagem: Divulgação

Rapp explicou que se sentiu motivado a revelar a história após o escândalo envolvendo o poderoso produtor de Hollywood Harvey Weinstein, acusado por mais de 50 mulheres de estupro e assédio sexual. Weinstein nega as acusações de sexo não consentido.

"Eu revelei a minha história, apoiado nos ombros dos corajosos homens e mulheres que têm decidido falar", disse, no Twitter.

Em nota, Kevin Spacey, que tinha 26 anos quando o suposto incidente ocorreu, disse estar "horrizado" pelo relato, e afirmou que não se lembra do encontro.

"Mas se eu tiver me comportado da forma como ele descreve, devo a ele as mais sinceras desculpas pelo que teria sido um comportamento etílico inapropriado".

Spacey afirmou ainda que "admira" Rapp. "Eu sinto muito pelos sentimentos que ele diz ter carregado por todos esses anos."