Topo

Filmes e séries


Chefão da Pixar admite assédio e se afasta do estúdio por seis meses

Divulgação
John Lasseter revolucionou a Disney Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

2017-11-21T18:58:01

21/11/2017 18h58

John Lasseter, diretor de criação da Pixar, Walt Disney Animation Studios e DisneyToon Studios, afirmou que vai tirar "seis meses sabáticos" após comportamento inadequado relatado por seus colegas de trabalho.

Um empregado antigo da Pixar afirmou que Lasseter é conhecido por "agarrar, beijar e fazer comentários sobre os atributos físicos das pessoas", relatou o site "The Hollywood Reporter", que entrevistou diversas fontes próximas à empresa.

Muitos confirmaram que o diretor de criação também exagerava na bebida alcoólica durante eventos sociais da Pixar. Nenhuma fonte revelou o nome por medo de demissão e que a sua carreira fosse manchada.

A atriz Rashida Jones -- conhecida por "Parks and Recreation" e "Eu Te Amo, Cara" -- e seu parceiro criativo Will McCormack deixaram o projeto "Toy Story 4", no qual ainda são creditados como roteiristas, após Lasseter realizar um "avanço indesejado", salientou uma das fontes.

O chefão pediu desculpas por "qualquer um que já recebeu um abraço não desejado ou qualquer gesto que tenha ultrapassado o limite de qualquer forma".

"Nunca é fácil enfrentar seus erros, mas é a única maneira de aprender com eles", disse Lasseter em um memorando enviado à equipe neste terça-feira (21). "Como resultado, tenho pensado muito no líder que sou hoje em comparação com o mentor e campeão que quero ser. Foi trazido à minha atenção que eu fiz alguns de vocês se sentirem desrespeitados ou desconfortáveis. Essa nunca foi minha intenção".

"Coletivamente, vocês significam tudo para mim, e eu me desculpo profundamente se eu os decepcionei. Eu especialmente quero pedir desculpas a qualquer um que já recebeu um abraço não desejado ou qualquer gesto que ultrapasse a o limite de qualquer forma. Não importa quão benigna seja minha intenção, todos têm o direito de estabelecer seus próprios limites e tê-los respeitados", acrescentou o Lasseter.

O afastamento será para "cuidar melhor de mim, de recarregar e ser inspirado, e por fim voltar com as ideias e perspectivas que preciso para ser o líder que vocês merecem".

Revolução nas animações

Lesseter promoveu uma revolução na indústria cinematográfica. Um dos fundadores da Pixar, ele dirigiu "Toy Story", "Toy Story 2", "Vida de Inseto", "Carros" e "Carros 2". Após a Disney comprar a empresa de animação, Lesseter virou o diretor de criação tanto da Pixar quanto da Walt Disney Animation Studios.

O produtor, diretor e roteirista tem dois Oscar - melhor curta de animação por "Tin Toy" e um prêmio especial por "Toy Story". Um porta-voz da Disney disse ao site "The Wrap" que "estão comprometidos em manter um ambiente em que todos os funcionários são respeitados e habilitados a fazer o seu melhor".

A Lasseter é atribuído o resgate da Walt Disney Animation. Parece distante agora, com "Frozen" (2013) entre os 10 filmes de maior bilheteria da história, mas a Disney teve grandes fracassos como "Atlantis - O Reino Perdido" (2001), "Irmão Urso" (2003) e "O Galinho Chicken Little" (2005).

Assolada pela Pixar, a divisão de animação da Disney esteve a ponto de fechar, mas o estúdio recobrou a sua energia sob a direção de Lasseter e começou a produzir clássicos como "Enrolados" e "Detona Ralph" para voltar aos seus dias de glória.

"Cresci amando os filmes da Disney, tinham muito significado para mim, havia magia neles, beleza", diz o diretor de 60 anos em um encontro com a imprensa internacional durante a conferência D23, organizado pela empresa em julho deste ano.

A contribuição de Lasseter ao mundo não é pequena. Desde que em 1995 estreou "Toy Story", a Pixar ganhou 13 Oscars e US$11 bilhões nas bilheterias com 18 filmes. E ao entrar no Walt Disney Animation Studios, o tirou das ruínas, lucrou US$ 5 bilhões em oito filmes e venceu quatro prêmios da Academia.