PUBLICIDADE
Topo

CCXP: Michonne de "Walking Dead" é ovacionada com discurso feminista

Danai Gurira participa da CCXP, em São Paulo - Reprdoução/Twitter Marvelbr
Danai Gurira participa da CCXP, em São Paulo Imagem: Reprdoução/Twitter Marvelbr

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

09/12/2017 16h42

Danai Gurira, a Michonne de "The Walking Dead", conquistou o público que lotou o auditório Cinemark, na CCXP 2017 (Comic Con Experience), para vê-la neste sábado (9). Aplaudida de pé logo ao chegar, a atriz recepcionou o público com um "olá, Brasil", em português, e foi ovacionada ao fazer um emocionante discurso sobre a representação das mulheres no cinema e na TV.

"Acho que é muito importante para meninas e mulheres se verem representadas na tela como pessoas complexas, pessoas que sabem se cuidar. Muitas vezes, no entretenimento, vemos mulheres que têm que ser salvas, mas não é isso que eu vejo no meu dia a dia. As mulheres sabem se virar, elas salvam os outros o tempo todo".

"E quando você tem problemas, você vai falar com a sua mãe, a sua mãe!", completou Danai, conquistando uma salva de aplausos. "Nós temos esse poder. E é isso que amo em 'Walking Dead'. Todos os personagens são poderosos, e Michonne sabe o que fazer, ela inteligente, ela encontra as soluções. Eu gosto muito de ver isso".

A artista então disse que meninas e mulheres são muito poderosas ainda que nem sempre saibam disso: "O poder de uma mulher e de uma menina podem resolver os problemas do mundo. A gente tem que promover isso cada vez mais. Quando meninas e mulheres se engajam, conseguimos resolver muitas coisas".

Em uma espécie de "crossover" improvisado, Danai citou como exemplo Eleven (Millie Bobby Brown), a garota superpoderosa da série "Stranger Things". "Ela vai lá e fala 'meus amigos não podem me salvar, mas eu posso salvá-los'", lembrou, elogiando em seguida a parceria da menina com o tenente Jim Hopper (David Harbour) em uma cena crucial da segunda temporada da trama.

"É uma parceria. Ele vê o poder dela, e não tenta reprimir ou oprimi-la, ele deixa ela usar o poder para o mundo melhorar, e é isso que deve acontecer".

A atriz inclusive já recebeu várias mensagens de meninas e mulheres que se sentiram inspiradas ao ver sua personagem de "Walking Dead", uma mulher forte. "Garotas dizem que se sentiram encorajadas a fazer várias coisas quando viram a Michonne", contou ela, que elogiou as personagens da série: "As mulheres da série não ficam esperando alguém ajudar".

Danai Gurira em The Walking Dead - Divulgação - Divulgação
Danai Gurira em "The Walking Dead"
Imagem: Divulgação

"Walking Dead" e katana

Falando na série, Danai afirmou que o último episódio da oitava temporada antes do intervalo do fim do ano, que vai ao ar neste domingo, irá balançar a trama, cujo ritmo vem sido criticado por muitos fãs: "Vai ser transformador, é diferente de tudo o que já fizemos. É incrível".

A atriz ainda lembrou como foi sua experiência com a katana — a espada que Michonne carrega quase o tempo todo na série. "Eu tive um certo treino na escola, mas era diferente porque era uma espada inglesa, não a japonesa, a katana. Na primeira vez, meus músculos ficavam muito doloridos, eu nem conseguia levantar os braços depois, de tanto que doía. E mexer esse tipo de arma demanda muito do corpo".

E assim como Michonne, que tem a espada quase como uma parte de seu corpo, Danai também se tornou inseparável dela. "Eu ainda treino espada nos intervalos entre as temporadas. Tenho uma espada de treino no meu porta-malas, porque às vezes eu pego e começo a treinar".

Já há oito temporadas trabalhando com o mesmo elenco e equipe, a artista disse sente falta deles no intervalo entre as temporadas. "Nós realmente curtimos a companhia um do outro. Eu sinto falta deles. Sinto saudades do Steven [Yeun, o Glenn], porque a gente não se vê sempre agora. Eles são muito engraçados, sempre damos muitas risadas. Nós cuidamos um dos outros, nos protegemos. É muito divertido ir trabalhar todos os dias".

"Seja o melhor brasileiro que você puder"

Parte do elenco de "Pantera Negra", primeiro filme de um herói negro no Universo Cinematográfico da Marvel, Danai, que foi criada no Zimbábue, disse que tenta criar pontes entre sua origem e os Estados Unidos, onde vive.

"Nasci nos Estados Unidos, mas cresci lá, de onde meus pais vieram. Foi uma experiência interessante, eu sempre vivi na ponte entre esses dois mundos. [A África] é um universo pouco representado, às vezes representado de forma errada, então acho que minha vocação é juntar essa culturas o máximo que puder."

"Ser capaz de fazer uma mulher africana no Universo Marvel, chegar a esse ponto, é incrível", completou. "Nós falamos muito em um dialeto africano, o que foi muito bonito. . Sendo uma mulher africana, não podia ser mais incrível".

Em seguida, ela disse aos espectadores para não desistirem dos seus sonhos e deixou o palco com uma mensagem motivacional: "Sejam os melhores brasileiros que vocês podem ser, porque o mundo precisa de vocês". A atriz deixou o palco aplaudida de pé pelo público.