Topo

Comic Con Experience


O que "Cidade de Deus" e "Pantera Negra" têm em comum? Diretor explica

Natalia Engler

Do UOL, em São Paulo

09/12/2017 14h28

Depois do cancelamento da vinda do produtor de "Pantera Negra" Nate Moore para a CCXP (Comic-Con Experience), em São Paulo, a Marvel conseguiu preparar uma surpresa para o público que veio ao São Paulo Expo neste sábado (9). O diretor do filme, Ryan Coogler participou ao vivo, por vídeo, de Los Angeles, e revelou que queria muito falar com o público brasileiro por um motivo especial.

Coogler revelou que tem uma adoração especial por “Cidade de Deus” e que a produção brasileira foi um dos primeiros filmes internacionais que assistiu na juventude, quando morava em Oakland, EUA. Mais do que isso, ele aprendeu algo com o filme dirigido por Fernando Meirelles e está tentando por em prática em “Pantera Negra”.

“Eu realmente viajei para aquele lugar. Senti que estava ali naquela cidade", disse ele, sobre assistir a "Cidade de Deus". "É diferente quando é alguém de dentro que mostra as coisas, alguém que entende. Eu queria fazer isso com Wakanda [o reino de Pantera Negra]”, revelou Coogler, que é o primeiro diretor negro do Universo Cinematográfico Marvel e dirige nada menos do que o filme do primeiro super-herói negro da história.

Reprodução
Danai Gurira, que dá vida à personagem Okoye Imagem: Reprodução

Marco

Quem também participou do painel foi a atriz Danai Gurira, que interpreta Okoye, a chefe da guarda real de Wakanda. Ela ressaltou quanto esse filme é significativo para os fãs negros. "Tem uma paixão por trás desse projeto. Eu cresci no Zimbábue, vendo filmes feitos do continente, e ver que jovens desses países vão poder ver super-heróis falando línguas africanas, com uma história próxima da deles. É uma coisa incrível para esses jovens. É muito legal que pessoas de todo o mundo, de todas as origens, estejam animadas para ver esse filme, que é algo que não vimos antes", afirmou.

"Eu nunca vi um filme como esse que se passasse na África", concordou Coogler. "E para mim, como um homem negro, vi como uma grande oportunidade fazer esse filme e me envolver com esse mundo através desse filme. Queria achar os melhores personagens de uma história tão rica para trabalhar, achar os melhores colaboradores. E mostrar o continente da África, que faz parte da minha herança".

"Sei que o Brasil tem uma grande população afro-brasileira, e eles também têm que lidar com o que significa essa identidade, assim como T'Challa (o Pantera Negra), que tem que decidir que tipo de rei vai ser depois que seu pai morreu", continuou.

Reprodução
Cena de "Pantera Negra", dirigido por Ryan Coogler Imagem: Reprodução

Mulheres de Wakanda

"É uma coisa incrível ver um jovem negro que parece comigo no papel de líder de uma nação. E outra coisa legal é o papel das mulheres ali, elas são muito importantes, como deveria ser na realidade", apontou Coogler.

A personagem de Gurira é justamente uma dessas mulheres. "Ela é uma pessoa gentil, mas também é chefe de uma força que é como os fuzileiros navais, e ela é muito comprometida com esse trabalho de proteger o rei", explicou a atriz. "Ela carrega o país nas costas, de certa maneira. Mas também é divertida, é uma militar tranquila. É bem diferente de Nakia (Lupita Nyong'o), que é mais misteriosa, mais como um James Bond".

Ela também explicou como Okoye é diferente de Michone, sua personagem na série "The Walking Dead". "A Michone vai e faz o trabalho. A Okoye também, mas ela vem de uma tradição antiga de guerreiros. As duas quebram tudo, mas fazem de uma maneira diferente. Okoye se preocupa em manter essa tradição".

Reprodução
"Pantera Negra" estreia em 15 de fevereiro de 2018 no Brasil Imagem: Reprodução

Novidades

Durante o painel, também foi exibido um trailer inédito de "Pantera Negra". A ação começa com uma perseguição de carros na Coreia do Sul, com T'Challa e suas guerreiras perseguindo o vilão Garra Sônica (Andy Serkis). De volta a Wakanda, o herói é recebido por sua mãe e logo tem que participar de lutas rituais com líderes de outras tribos do país. Daniel Kaluuya ("Corra!") aparece então como o conselheiro do rei, W'Kabi. Mais um corte e o Pantera está perseguindo mercenários que invadem a selva de Wakanda. Corta de volta para a Coreia, onde Okoye usa sua lança para parar e destruir um dos carros dos vilões. Ao fim do vídeo, o vilão Erik Killmonger (Michael B. Jordan) confronta T'Challa na sala do trono, e os dois terminam em uma luta, cada um com uma versão do traje do Pantera Negra, caindo em uma cratera.

Além do trailer, também foi exibida a mesma cena já mostrada na San Diego Comic-Con, em julho, De T'Challa, Okoye e Nakia indo atrás do Garra Sônica, que roubou uma peça de vibranium (o metal raro que só existe em Wakanda) em um cassino na Coreia do Sul.

O presidente dos estúdios Marvel, Kevin Feige, também participou ao vivo em vídeo e contou entre outras coisas que "Vingadores: Guerra Infinita" é o maior filme que já fizeram, e que ainda está sendo filmado, e que também já está trabalhando em uma sequência de "Homem-Aranha: De Volta ao Lar", com Tom Holland e o diretor Jon Watts de volta.

“Pantera Negra” estreia em 15 de fevereiro de 2018 e conta com Chadwick Boseman no papel principal, Michael B. Jordan (Erik Killmonger) e Forest Whitaker, entre outros.