PUBLICIDADE
Topo

Black Mirror: O que aconteceu com oficial da USS Callister? Ator tem teoria

Jimmi Simpson (esq) é Walton em USS Callister, de Black Mirror - Reprodução
Jimmi Simpson (esq) é Walton em USS Callister, de Black Mirror Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

05/01/2018 09h42

ATENÇÃO: ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO "USS CALLISTER", DA QUARTA TEMPORADA DE BLACK MIRROR.

O final do episódio "USS Callister", que abre a quarta temporada de Black Mirror, é redentor para Walton (Jimmi Simpson). O oficial da nave se sacrifica para permitir que os colegas consigam escapar da fúria do capitão Daly (Jesse Plemons), mesmo que para isso seja queimado vivo. Quando a tripulação finalmente chega ao buraco de minhoca e entra na realidade virtual onde Daly não pode alcançá-los, Walton não é mais visto. Afinal, o que aconteceu com ele?

Jimi Simpson tem uma teoria. E é aterrorizante para o seu personagem. "Em primeiro lugar, isso é muito Charlie (Brook, o criador da série). Mas eu acho que é fundamental. Essas pessoas (na USS Callister) foram torturadas pelo que pareceram centenas de anos. O meu palpite, e você tem que perguntar para o Charlie porque eu não estou escrevendo o roteiro dele, é que sim: o Walton vai ficar gritando por toda a eternidade", afirmou Simpson em entrevista ao Entertainment Weekly.

O episódio, elogiado pela crítica, usa "Star Trek" como base para criticar tanto o machismo no ambiente de trabalho (e no mundo virtual) quanto a apropriação que os fãs mais radicais fazem de suas séries e filmes favoritos. 

Em "USS Callister", Robert Daly é o criador de um jogo de realidade virtual chamado Infinity. Mas ser um gênio da computação não o faz feliz. Ele é humilhado pelo sócio (Simpson) e ignorado pelos funcionários da própria empresa. A personalidade aparentemente pacata de Daly é apenas fachada para uma mente doente, que clona virtualmente os seus desafetos e os jogam na USS Callister, uma extensão da Infinity baseada em sua série favorita. Então Daly vira um capitão tirano, vingando-se de todos dia após dia, com muita crueldade.