Filmes e séries

''Vivi uma montanha-russa emocional nesse filme'', diz Anne Hathaway sobre ''O Amor e Outras Drogas''

Getty Images
Anne Hathaway marca presença na pré-estreia de "O Amor e Outras Drogas", em Nova York (16/11/2010) Imagem: Getty Images

CHRISTINE KEARNEY

NOVA YORK, EUA - Anne Hathaway volta a contracenar com Jake Gyllenhaal, seu parceiro em "O Segredo de Brokeback Mountain", no misto de drama e comédia romântica "O Amor e Outras Drogas".

Sua atuação no papel de Maggie, um espírito livre, incluindo sexualmente, que se apaixona por um vendedor de produtos farmacêuticos, a está levando a ser cogitada para uma possível indicação ao Oscar.

Hathaway, de 28 anos, conversou com a Reuters sobre o filme -- baseado no livro de não ficção "Hard Sell - The Evolution of a Viagra Salesman" - sobre temas que vão desde medicamentos até a droga principal do filme: o amor.

Reuters - O que mudou na sua vida e na de Jake desde "Brokeback Mountain?"
Anne Hathaway -
Acho que tudo, menos nossas famílias e nossos amigos. Somos basicamente as mesmas pessoas, só que mais velhas e mais sábias.

Reuters - Parece que você chorou todos os dias durante as filmagens de "O Amor e Outras Drogas"?
Anne Hathaway -
É verdade, vivi uma montanha-russa emocional neste filme. Fiz uma personagem que está muito fora de minha zona de conforto. E toda essa sexualidade explícita não tem nada a ver comigo.

Reuters - Sua personagem tem a doença de Parkinson, é emocionalmente complexa e não é uma personagem feminina típica e unidimensional de comédia romântica. Foi isso que a atraiu no roteiro?
Anne Hathaway -
O roteiro que me mandaram era a história de um homem que foi transformado pelo amor de uma mulher. E o roteiro que acabamos fazendo é a história de duas pessoas que são transformadas pelo amor.

  • Divulgação

    Jake Gyllenhaal e Anne Hathaway vivem par romântico em ''O Amor e Outras Drogas''


Reuters - As cenas sexuais foram as mais expostas que você já fez?
Anne Hathaway -
Acho que foram as cenas de sexo mais carregadas que já fiz, sim.

Reuters - Você procurou não exagerar o tremor da doença de Parkinson?
Anne Hathaway -
Pesquisei a doença. Conversei com pessoas que estão em fases diferentes da doença. Assisti a muitos vídeos no YouTube.

Reuters - Como você se sentirá se este ano estiver sentada na plateia do Oscar como indicada?
Anne Hathaway -
Você é tão gentil me convidando para partir na viagem do tapete mágico! Acho que este ano sou uma das cerca de 37 atrizes que vêm sendo comentadas como possíveis candidatas, então vou ficar com os pés no chão e dizer 'vou esperar para ver o que acontece'.

Reuters - O filme também menciona a indústria farmacêutica. O que você tem a dizer sobre isso?
Anne Hathaway -
Me preocupo com a industrialização da medicina. Acho que, como a maioria das pessoas, isso me assusta. Não sou alguém que procura um analgésico assim que sente uma dor de cabeça.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
AFP
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
redetv
do UOL
EFE
Colunas - Flavio Ricco
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
Cinema
redetv
redetv
redetv
redetv
Blog do Nilson Xavier
do UOL
Reuters
EFE
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Da Redação
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo