Filmes e séries

Sucesso do novo filme da série "Narnia" é uma incógnita

MIKE COLLETT-WHITE

29/11/2010 16h50

LONDRES, Inglaterra - O terceiro filme da série "Crônicas de Narnia" envolve uma épica viagem marítima, mas, como o segundo longa teve público abaixo do esperado e a Disney ter desistido da franquia, a série pode afundar ou seguir navegando.

"As Crônicas de Narnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada" terá sua pré-estreia mundial em Londres na terça-feira diante da rainha Elizabeth e chegará aos cinemas de alguns países em 2 de dezembro. Aos EUA, chega em 10 de dezembro. O filme estará disponível em versões 2D e 3D.

ASSISTA AO TRAILER DE "A VIAGEM DO PEREGRINO DA ALVORADA"

A nova co-produtora Twentieth Century Fox estará muito atenta ao desempenho do filme, tendo assumido das mãos da Walt Disney Co. o controle da franquia baseada nos romances de fantasia de C.S. Lewis.

"A Viagem do Peregrino da Alvorada" acompanha Lúcia e Edmundo Pevensie, seu primo Eustáquio, o rei Caspian e um rato guerreiro chamado Ripchip em uma missão que os leva a ilhas misteriosas e a um reencontro com o poderoso leão Aslan.

"Haverá público para este filme, com toda certeza. Mas não prevejo que o filme vá restaurar a franquia à sua glória anterior," opinou Brandon Gray, do site de rastreamento de filmes Box Office Mojo.

Em 2005, quando foi lançado o primeiro filme da série, "O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa," a bilheteria chegou a 745 milhões de dólares, e o filme foi o terceiro maior do ano, levando a Disney a esperar que a série pudesse se converter no próximo "Harry Potter."

POR QUE "PRÍNCIPE CASPIAN" NÃO FEZ SUCESSO?

Como a série Potter, há sete livros infantis com os quais trabalhar, além de certo nível de familiaridade de leitores em todo o mundo.

Mas "Príncipe Caspian," o segundo filme da franquia, lançado em 2008, vendeu apenas 420 milhões de dólares em ingressos em todo o mundo.

Foi o suficiente para convencer a Disney a romper com a Walden Media, produtora de "Narnia." A Fox, pertencente à News Corporation, tomou o lugar da Disney no início de 2009.

A performance de "Príncipe Caspian" normalmente seria considerada impressionante, mas, com custos de produção estimados em mais de 200 milhões de dólares, um grande orçamento de marketing e comparações pouco elogiosas com o primeiro filme, "Caspian" foi visto como fracasso.

Especialistas atribuíram a bilheteria fraca ao fato de "Caspian" ter sido lançado em maio, em vez de dezembro, e de o público estar mais familiarizado com o livro "O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa" que com "Príncipe Caspian."

Mark Johnson, produtor dos três filmes Narnia, disse ao Wall Street Journal que o novo filme foi feito por relativamente modestos 140 milhões de dólares

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
AFP
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
AFP
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Topo