Filmes e séries

Oscar reúne moderno e antigo para agradar a todos

Getty Images
Anne Hathaway chega na cerimônia do Oscar (27/02/2011) Imagem: Getty Images

28/02/2011 13h10

Por Steve Gorman

LOS ANGELES (Reuters) - Os organizadores do Oscar fizeram algo inédito no domingo nos 83 anos de história da premiação -- confiar a um casal jovem e atraente de astros de Hollywood a apresentação da maior cerimônia da indústria cinematográfica.

E os dois novos mestres-de-cerimônia, James Franco e Anne Hathaway, foram logo reconhecendo a sua juventude e a ideia de que sua presença poderia ajudar a atrair uma geração de telespectadores que têm cada vez mais se desinteressado do Oscar nos últimos anos.

"Anne, devo dizer, você está linda e moderna", disse Franco, de 32 anos, ele próprio um candidato a melhor ator, brincando com sua parceira de palco assim que os dois abriram o espetáculo.

"Oh, obrigado, James", Hathaway, 28 anos, a mais jovem apresentadora da história do Oscar, respondeu, devolvendo o elogio. "Você está muito atraente para o público mais jovem também."

Os dois estavam brincando, mas também falando sério, já que os produtores do Oscar se empenharam este ano para incorporar elementos tecnológicos e as imagens criadas para atrair cinéfilos jovens.

Logo no início da cerimônia, o apresentador Justin Timberlake, ator e cantor popular entre o público jovem, usou um aplicativo de smartphone para iluminar o pano de fundo de "Shrek" na apresentação dos prêmios para filmes de animação.

Mas o espetáculo não virou as costas para a Hollywood de antigamente. Kirk Douglas, de 94 anos, com a fala comprometida pelo derrame que sofreu há 15 anos, subiu de bengala com dificuldade no palco para apresentar o Oscar de melhor atriz coadjuvante, que foi para Melissa Leo por "O Vencedor".

Douglas mesmo chegou a aludir ao conflito de gerações no Oscar, elogiando a beleza de Hathaway.

"Ela é linda", disse ele, enquanto a jovem atriz soprava-lhe beijos. "Onde você estava quando eu fazia filmes?"

Pouco tempo depois, o vencedor do Oscar de melhor roteiro original, David Seidler, 73, por "O Discurso do Rei", proclamou em seu discurso de aceitação que ele era a pessoa mais velha a ganhar o prêmio.

A cerimônia fez diversas referências a imagens e músicas de filmes ganhadores do Oscar de outrora, como "E o Vento Levou", "Star Wars" e "Titanic".

A tensão entre o novo e o velho foi orquestrada pelos produtores, que disseram que queriam reconectar os fãs de cinema com a história de Hollywood, dando ao espetáculo um toque contemporâneo para atrair telespectadores de 18 a 49 anos - uma demografia valorizada pelos anunciantes.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo