Cinema

Atualizada em 09.12.2013 19h56

Sul-africanos lotam cinemas para ver filme sobre vida de Mandela

David Dolan Em Johannesburgo (África do Sul)

Os sul-africanos estão indo em grande número assistir ao filme "Mandela: Longo Caminho para a Liberdade" desde a morte do líder antiapartheid aos 95 anos, na semana passada, aproveitando o que consideram ser a última oportunidade para refletir sobre a vida do líder.

O filme biográfico, de 150 minutos, com o ator britânico Idris Elba no papel de Mandela, havia estreado alguns dias antes de o primeiro presidente negro do país, laureado com o Prêmio Nobel da Paz, morrer na quinta-feira em sua casa em Johannesburgo.

A principal rede de cinemas da África do Sul suspendeu a exibição no dia seguinte à morte de Mandela, mas depois aumentou o número de sessões para atender à crescente demanda, num momento em que o país se prepara para cerimônias em memória dele, com a presença de cerca de 90 líderes mundiais, que homenagearão um dos maiores pacificadores da história.

"Depois de sua morte, senti que eu lhe devia ver [o filme] e entender mais a sua vida", afirmou Church Shikwambana, de 28 anos, que viu o filme na capital, Pretória.

O filme, feito com base na autobiografia de Mandela, de 1994, teve sua estreia real em Londres na quinta-feira, com a presença do príncipe britânico William e sua mulher, a duquesa de Cambridge, e duas filhas de Mandela. As filhas ficaram sabendo da morte do pai pouco antes de o filme começar. Elas saíram imediatamente do cinema, mas pediram que a sessão prosseguisse.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo