Filmes e séries

"Amantes Eternos" é um "Crepúsculo" para adultos interessados por arte

Alysson Oliveira*

Do Cineweb, em São Paulo

13/08/2014 16h23

Numa descrição rasa, "Amantes Eternos" seria uma espécie de "Crepúsculo" para adultos interessados por arte. Obviamente, essa definição não contempla a densidade e humor do filme de Jim Jarmusch ("Flores Partidas"). Protagonizado por Tilda Swinton e Tom Hiddleston, o longa cheio de estilo é uma celebração aos valores da beleza estética que tenta pairar sobre a ruína do caos financeiro de nosso tempo.

Tilda é Eve, vampira milenar moradora de Tânger, que à noite vaga pelos becos da cidade marroquina a caminho de um bar onde encontrará o dramaturgo Christopher Marlowe (John Hurt), supostamente morto em 1593, mas que, vampiro como ela, atravessou os séculos e hoje se arrepende por não receber os créditos pela colaboração com Shakespeare. Ele também é uma espécie de mestre dela, e todo dia lhe fornece sangue humano --uma vez que ela se recusa a caçar suas presas, pois está mais interessada em literatura.

Adam (Hiddleston) vive numa Detroit destruída, apenas uma sombra do centro industrial que foi no passado. São fábricas e galpões abandonados que servem de cenário para os passeios noturnos do vampiro. Ele foi um músico famoso, e ainda é objeto de culto por adolescentes que se plantam na porta de sua casa, sem nunca serem recebidos. O jovem Ian (Anton Yelchin) é um de seus contatos com o mundo externo, fornecendo-lhe instrumentos musicais raros. O outro é o Dr. Watson (Jeffrey Wright), funcionário de um banco de sangue que lhe vende seu alimento de tempos em tempos.

Eve e Adam têm uma relação apaixonada que a distância não enfraqueceu: o tempo só a fortalece. São dois aristocratas que já viram de tudo e agora se devotam à arte. Na mala dela, veem-se obras de Samuel Beckett, Miguel de Cervantes e David Foster Wallace. Na parede da velha casa dele, fotografias de Franz Kafka, Jane Austen, Patti Smith, Bruce Lee, Buster Keaton e Tom Waits, entre outros.

Trailer legendado de "Amantes Eternos"

O casal tem (literalmente) todo o tempo do mundo para apreciar todas as formas de arte sem pressa. Enquanto os demais mortais --a quem a dupla chama de "zumbis"-- vagam perdidos em suas existências vazias, centrados no trabalho e outras coisas mundanas, perdendo a capacidade de admirar a beleza estética.

Adam fica tão incomodado com isso a ponto de tentar o suicídio, o que faz Eve voltar para os Estados Unidos para o reencontrar e tentar salvar sua "vida". Juntos, vagam pelas ruínas de uma cidade agonizante. Num antigo teatro, por exemplo, ele lhe mostra toda a beleza arquitetônica e os dois imaginam o que foi visto ali nos dias de glória do lugar --agora, um decrépito estacionamento. Não por acaso, Adam está deprimido.

O maior problema do casal, no entanto, é a falta de sangue. O momento da alimentação é uma espécie de êxtase que os faz virar a cabeça para trás e se entregar a devaneios. Eles têm uma espécie de pacto de não matar humanos, nem transformá-los em vampiros. Porém, a irmã de Eve, Ava (Mia Wasikowska) não é tão centrada quanto eles, e a sua chegada desestabiliza a paz vampiresca do casal.

Podem a arte e a beleza sobreviver em tempos de crise econômica?, questiona o filme. Como a arte pode existir numa época em que tudo se transformou em mera mercadoria? Ainda há espaço para a beleza estética? Em meio a um mundo devastado pelo dinheiro (ou a ausência deste), o casal de vampiros se esforça para manter viva (quanta ironia!) a tradição cultural do Ocidente. Os artistas sucumbem (vide a trajetória de Marlowe), e o que vai restar aos admiradores?

Jarmusch, que também assina o roteiro, não está interessado em respostas. Mas, aparentemente, a saída está na vampirização das obras -- metaforicamente falando, é claro. Pois, como já se disse tantas vezes: longa é a arte, tão breve a vida.

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
redetv
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
Cinebiografia a caminho
Reuters
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
Roberto Sadovski
redetv
redetv
do UOL
EFE
EFE
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
EFE
EFE
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
redetv
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Jogos
Reuters
do UOL
EFE
Topo