George Clooney encontra otimismo no mundo em novo filme da Disney "Tomorrowland"

Por Piya Sinha-Roy

LOS ANGELES (Reuters) - Dando um tempo na imensidão de temas mais sombrios, com o objetivo de atrair audiências jovens, a Disney decidiu fazer uma reformulação mais lustrosa ao mundo do futuro no mais recente filme de grande orçamento do estúdio. 

O filme ?Tomorrowland - Um Lugar Onde Nada é Impossível?, que estreia nos Estados Unidos na sexta-feira, mostra as primeiras visões de utopia científica de Walt Disney ganharem vida, dentro de um vibrante paraíso em um reino paralelo que conseguiu levar ao topo o verdadeiro potencial da humanidade. 

Mas Tomorrowland é uma terra misteriosamente perdida, e a tarefa de recuperá-la e revitalizá-la recai sobre Casey Newton (Britt Robertson), uma determinada adolescente com certa aptidão para a ciência.  

A crença dessa jovem nesse lugar do futuro a leva em uma jornada junto a Frank Walker (George Clooney), um gênio recluso que uma vez acreditou na terra proibida, mas agora encontra-se exilado e amargo com o mundo. 

?Eu adorei o quanto a história foi otimista?, disse Clooney em uma entrevista. ?Eu adorei a ideia de que o filme olhou para o mundo dizendo ?o futuro não é o que você vê quando você liga a televisão e quando fica deprimido e transbordado com isso?. As coisas não precisam acabar assim.?

Mas, mesmo assim, o filme não ignora o cinismo do mundo real que muitos podem sentir quando apresentados à visão otimista e fantasiosa de um lugar perfeito que pode ser alcançado através do poder da crença e da imaginação.

Feito com estimados 190 milhões de dólares, de acordo com o site BoxOfficeMojo.com, o filme familiar da Walt Disney é inspirado pela atração futurística dos parques temáticos da Disney, celebrando avanços científicos.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos