Filmes e séries

Alice Braga e Vladimir Brichta estrelam romance policial de época

Rodrigo Zavala

Do Cineweb, em São Paulo

24/06/2015 15h52

"Muitos Homens Num Só", que estreia nesta quinta (25), surpreendeu em 2014, quando levou dez prêmios no Cine PE, incluindo melhor filme, roteiro, ator, atriz, direção de arte e trilha sonora. Consagrado pelo júri e público por lá, este romance policial chega agora aos cinemas com expectativas em alta.

Com uma competente produção de época, o filme é baseado no personagem real "Dr. Antônio", registrado pelo cronista carioca João do Rio, autor de "Memórias de Um Rato de Hotel". Trata-se de um habilidoso ladrão do final do século 19, no Rio de Janeiro, que roubava quartos de hotéis de luxo e foi perseguido pela polícia por anos a fio.

Vivido pelo ator Vladimir Brichta, o protagonista chega a um duplo problema no roteiro escrito pela diretora Mini Kerti (do documentário "Contratempo") e Leandro Assis. Além de se apaixonar pela casada Eva (Alice Braga), é perseguido pelo policial Félix Pacheco (Caio Blat), que passa a usar impressões digitais para identificar o ladrão.

"Dr. Antonio", uma das facetas do personagem que ficou famosa na época, precisará decidir se prefere o amor ou o crime, ao mesmo tempo em que engana a polícia e tenta se livrar de seu colaborador problemático (participação especial do uruguaio César Troncoso). É nesse ponto que a produção se distancia ainda mais da realidade, tornando-se simples inspiração.

A composição dupla da história é reflexo do trabalho conjunto entre Kerti e Assis, que faziam roteiros paralelos, com visão uma mais romântica, outra mais criminal (respectivamente).

Com quase uma década decorrida entre projeto e execução do filme, a diretora só conheceu Assis em 2008, quando decidiram reunir o que haviam escrito até então, mesclando ideias distintas.

Com trilha sonora assinada pelo eterno Legião Urbana Dado Villa-Lobos, a produção é, no fim, uma grande história de amor, apoiada pela atuação de Braga e Brichta. Aliás, o ator intencionalmente não fez questão de adaptar seu personagem à época (apesar do cuidado com a ambientação), para entregar uma versão mais atual de Dr. Antônio. Apesar de o público pernambucano tê-lo dispensado, integrar-se ao contexto deveria ser imprescindível.

Assista ao trailer do filme

*As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Estadão Conteúdo
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
UOL Cinema - Imagens
redetv
redetv
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
Reuters
Reuters
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
Cinebiografia a caminho
Reuters
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
Roberto Sadovski
redetv
redetv
do UOL
EFE
EFE
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
EFE
EFE
Colunas - Flavio Ricco
Topo