Filmes e séries

Roman Polanski quer fim de caso de 1977 por estupro, diz advogado a juiz

Janek Skarzynski/AFP
25.fev.2015 - A corte polonesa adia decisão sobre extradição para os Estados Unidos de Roman Polanski. O cineasta voltou ao tribunal nesta quarta-feira (25) Imagem: Janek Skarzynski/AFP

Dana Feldman

Los Angeles (EUA)

20/03/2017 20h06

O diretor de cinema foragido Roman Polanski terá que aguardar até três meses para saber se pode resolver seu caso de estupro, que já leva quatro décadas, sem ter que passar mais tempo preso nos Estados Unidos.

O juiz da Corte Superior de Los Angeles, Scott Gordon, ouviu nesta segunda-feira (20) argumentos de procuradores e do advogado de Polanski em uma nova tentativa de encerrar o caso, mas disse que irá se abster de tomar quaisquer decisões por até 90 dias.

O advogado Harland Braun pediu a Gordon para decidir que Polanski completou seu tempo atrás das grades em 1977, quando passou 42 dias presos antes de uma sentença pelo estupro de uma jovem de 13 anos.

Com esta garantia, o diretor de "O Bebê de Rosemary" viajaria imediatamente de Paris aos Estados Unidos para a sentença, disse Braun.

O caso de Polanski, franco-polonês, tem sido assunto de grande controvérsia há 40 anos. Após se declarar culpado em 1977 e passar tempo preso, ele deixou os Estados Unidos, temendo que uma negociação com as autoridades à época seria exagerada e que receberia uma sentença prisional maior.

"Ele sabe o que lhe foi prometido na sentença. Ele sabe o tempo que serviu. Ele não está tentando negociar", disse Braun em audiência nesta segunda.

"O Sr. Polanski tem 83 anos e quer finalizar este caso, quer superar isto. O crime que ele cometeu é indefensável. Ele nunca tentou negar isto", acrescentou.

Os procuradores de Los Angeles, no entanto, dizem que Polanski pedia tratamentos especiais e que não deve haver discussão sobre a sentença até que ele retorne aos Estados Unidos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
Topo