UOL Entretenimento Cinema
 
05/03/2010 - 11h54

Meryl Streep e Sandra Bullock brigam pelo Oscar de melhor atriz

  • fotomontagem

    Na imagem, as atrizes Meryl Streep e Sandra Bullock, em cena dos filmes "Julie e Julia" e "Um Sonho Possível", respectivamente

Los Angeles (EUA), 5 mar (EFE).- Por suas atuações em "Julie e Julia" e "Um Sonho Possível", Meryl Streep e Sandra Bullock despontam com as principais favoritas ao Oscar de Melhor Atriz, categoria que ainda tem como indicadas Helen Mirren ("The Last Station"), Carey Mulligan ("Educação") e Gabourey Sidibe ("Preciosa - Uma História de Esperança").


MERYL STREEP, A RAINHA DAS INDICAÇÕES


O papel de Julia Child, famosa cozinheira americana dos anos 50, no filme "Julie e Julia" valeu a Meryl Streep sua 16ª indicação ao Oscar, um recorde insuperável hoje em dia e do qual se aproximam apenas Jack Nicholson e Katharine Hepburn, com 12 cada.

No entanto, Meryl Streep não conquista uma estatueta desde 1983, quando venceu o Oscar de Melhor Atriz por "A Escolha de Sofia", e três anos depois de levar a estatueta de Atriz Coadjuvante por "Kramer Versus Kramer".

Em 2009, a consagrada atriz voltou ser muito elogiada pela interpretação de Julia Child, um dos símbolos do início da televisão nos Estados Unidos.

O papel já rendeu a Meryl Streep o Globo de Ouro de Melhor Atriz de Comédia e um empate com Sandra Bullock no Critic's Choice Awards, da maior associação de críticos dos EUA.

Pesa contra a atriz o fato de a Academia não ter recebido "Julie e Julia" muito bem, o deixando de fora da lista de indicados ao Oscar de Melhor Filme.


SANDRA BULLOCK VIVE MELHOR MOMENTO DA CARREIRA


Conhecida por papéis cômicos, muitas vezes ingênuos, Sandra Bullock construiu uma bem-sucedida carreira em Hollywood, onde se tornou garantia de sucesso de bilheteria. Em 2009, seus filmes arrecadaram mais de US$ 440 milhões nos EUA, o que a coloca entre os atores mais rentáveis do mundo.

A popularidade da atriz, de 45 anos, contrasta até agora com o pouco reconhecimento da indústria a seu trabalho. Ao longo da carreira, Sandra Bullock parece ter demonstrado ser uma profissional mais centrada em entreter que em concorrer a prêmios.

No entanto, a adorável atriz provou que pode passear pelo drama com sucesso de crítica, e sem perder seu gancho com o público. "Um Sonho Possível" é um drama baseado em fatos reais sobre como uma família branca e rica, marcada pelas convicções da mulher (Bullock), ajuda um menino afro-americano sem recursos a trilhar o caminho do sucesso através do futebol americano.

O tipo argumento de "Um Sonho Possível" não costuma ser dos mais premiados pela Academia, mas este ano a obra de John Lee Hancock chegou a ser indicada ao Oscar de Melhor Filme, graças em parte ao trabalho de Bullock.

Por seu trabalho em "Um Sonho Possível", Sandra Bullock conquistou o prêmio de Melhor Atriz do sindicato de atores SAG, nos EUA, o Globo de Ouro de Melhor Atriz de Drama e empatou nessa mesma categoria com Meryl Streep no Critic's Choice Awards, dado pela mais importante associação americana de críticos.


HELEN MIRREN, UMA ATRIZ DE ÉPOCA


A veterana britânica Helen Mirren, de 64 anos, sabe o que é ganhar um Oscar. Seu trabalho em "The Last Station" lhe rendeu a quarta indicação, das quais saiu com a estatueta de Melhor Atriz em 2007, por "A Rainha".

Em "The Last Station", Mirren vive a mulher do famoso romancista russo Leon Tolstoi, autor de "Guerra e Paz" e "Anna Karenina", no tempestuoso último ano de vida do escritor.

A britânica fez Sofia, mãe de 13 filhos, que enfrenta o secretário do escritor, Vladimir Chertkov, pela herança familiar.

Chertkov acredita que a herança deve passar a ser propriedade do povo russo, enquanto Sofia está decidida que deve ficar com os filhos.

Apesar da idoneidade da personagem e da admiração que os membros da Academia têm por Mirren, a indicando três vezes nos último oito anos, os críticos acreditam que suas chances de ficar com a estatueta são poucas.


CAREY MULLIGAN, UM NOVO TALENTO DO CINEMA BRITÂNICO


Apesar de ser escalada em filmes como "Orgulho e Preconceito", de 2005, a britânica Carey Mulligan, de 24 anos, só despertou a atenção em Hollywood no ano passado, quando três de seus trabalhos receberam muita verba para distribuição nos EUA.

Mulligan teve papéis secundários em "Inimigos Públicos", ao lado de Johnny Depp e Marion Cotillard, e em "Entre Irmãos", com Natalie Portman, Tobey Maguire e Jacke Gyllenhaal. Em "Educação", outro filme de 2009, foi protagonista e de cara conseguiu a indicação ao Oscar de Melhor Atriz.

A britânica interpreta uma jovem de origem humilde que se prepara para entrar na universidade quando surge em sua vida um homem rico e com o dobro de sua idade. Ele lhe abrirá as portas de um mundo da alta sociedade que mudará seus planos.

A interpretação convenceu nos dois lados do Atlântico, e Mulligan conquistou vários prêmios da crítica americana, além de ser indicada ao Globo de Ouro.


GABOUREY SIDIBE, A SURPRESA DO ANO


Uma completa desconhecida que assombrou o mundo do cinema em 2009 com o papel em "Preciosa - Uma História de Esperança". Criada no bairro nova-iorquino do Harlem e filha de pais divorciados e com poucos recursos, Gabourey Sidibe se transformou no centro do drama dirigido por Lee Daniels, que recebeu seis indicações ao Oscar um ano depois de triunfar no festival de Sundance.

A jovem, de 26 anos, vive Preciosa, uma adolescente analfabeta, mãe de dois filhos que sofre abusos e cuja vida parece mudar de rumo quando se alista em uma escola alternativa.

Pelo já reconhecido trabalho, foi indicada ao Globo de Ouro, ao prêmio do sindicato americano Screen Actors Guild e ao Critic's Choice Awards.


(Por Fernando Mexía)
 

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo

    Hospedagem: UOL Host