UOL Entretenimento Cinema
 

Ficha completa do filme

Animação

A Fuga das Galinhas (2000)

Resenha por Rubens Ewald Filho

Rubens Ewald Filho

Especial para o UOL Cinema 01/01/2002
Nota 5

Uma fita deliciosa e muito divertida, para crianças e até adultos. Que fique claro: não é desenho animado, muito menos desenho digital feito por computador, como está atualmente na moda. É animação à moda antiga mesmo, quadro a quadro, daquela que dá um trabalho infernal e sai super caro. E animação com massinhas, daquelas que crianças têm como brinquedo.

Foi um desafio ainda maior, pelo aspecto físico das personagens, ou seja, galinhas têm pernas finas e corpos roliços, pesadas demais para serem modeladas em plasticina. E para dar credibilidade aos diálogos, foram criados 60 bicos, um para cada vogal diferente ou para um som de consoante.

A fita é trabalho de uma dupla de ingleses, que já ganharam dois Oscars de Curtas com o personagem de "Wallace & Gromit" (visto em tevê por assinatura), e foi um dos sócios da Dreamworks quem forçou o projeto (inicialmente ainda na Disney, mas eles tiveram medo de serem absorvidos pelo mega conglomerado).

Fala-se em cerca de 60 milhões de orçamento e três anos de produção, o que é compreensível diante da ousadia da empreitada. A melhor coisa foi usarem como base do roteiro uma história conhecida e bem armada, a de "Fugindo do Inferno" ("The Great Escape", 1960), de John Sturges, aquele onde Steve McQueen e um bando de prisioneiros aliados escapam de um campo de concentração nazista.

Aqui, em vez do campo é um galinheiro inglês em Yorkshire, onde as galinhas vivem felizes pondo ovos até o dia em que descobrem que a ambiciosa mulher do dono do lugar resolveu comprar uma máquina para produzir tortas de galinha. Portanto elas correm perigo.

Isso coincide com a aparição de Rocky, um galo americano que parece saber voar e que veio de um circo (na verdade, ele era usado como bucha de canhão, assim que ele voava). Mas o galo não quer estragar sua reputação e acaba sendo escolhido como líder dos planos de fuga e resistência.

Mas não é o americano sozinho que desta vez resolve tudo, as galinhas é que são forçadas a tomarem as rédeas da revolta. Tudo isso é contado com muito humor, uma técnica simples e perfeita, uma narrativa sem falhas. Difícil fazer comparações, porque há anos não se vê uma fita semelhante. Desta vez, a inteligência e a simplicidade venceram a tecnologia. Este é dos melhores filmes de animação dos últimos anos.

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo