UOL Entretenimento Cinema
 

Ficha completa do filme

Drama

Quebra de Confiança (2007)

Resenha por Rubens Ewald Filho

Rubens Ewald Filho

Especial para o UOL Cinema 04/12/2007
Nota 4

É uma boa surpresa esse thriller de espionagem baseado em fatos reais, que não teve a merecida repercussão nos EUA. É um filme absorvente, que revela em detalhes uma história estarrecedora, com um elenco afiado e brilhante. E, na verdade, seria inacreditável e absurda caso não fosse autêntica. O diretor Ray é roteirista conhecido ("A Cor da Noite", "Volcano", "A Guerra de Hart", "Plano de Vôo") e estreou na direção em 2003, com "Shattered Glass", que tinha algo a ver com este filme, contando a história de um jornalista da revista "The New Republic" que inventou fatos e mentiras para suas histórias.

Ryan Philippe, que tem fama de canastrão, nunca esteve melhor do que aqui, no papel do ambicioso agente do FBI Eric O´Neill, que hoje trabalha como advogado e serviu também como consultor do filme, o que explica porque este é tão meticuloso em detalhes, inclusive na predileção do vilão por Catherina Zeta-Jones. Sua chefe é uma mulher (feita por Laura Linney, sempre uma grande atriz) que aos poucos vai lhe dando detalhes do caso: ele tem que servir de assistente de um veterano especialista em segurança e também em casos de traição, que está sob suspeita de vender informações para os soviéticos. Essa figura misteriosa e contraditória chama-se Hanssen e passa-se por um católico fervoroso, que se aproximaria do assistente na tentativa de trazê-lo de volta para a Igreja.

Tudo é construído como um thriller de suspense, em que as revelações vão surgindo aos poucos. Descobrimos junto com Eric as contradições daquela figura, enquanto participamos das tentativas de incriminá-lo, revistando seu carro ou copiando suas mensagens. Tudo isso ajudado pelo intérprete de Hanssen, o excelente ator Chris Cooper (que, poucos lembram, ganhou um Oscar de coadjuvante por "Adaptação"). Esse é o tipo sobre o qual não se pode revelar muitos detalhes. Basta dizer que esse é o caso mais absurdo e lendário da história da espionagem e que teve uma versão digna de sua importância. Impecável. Não deixe de ver.

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo