UOL Entretenimento Cinema
 
16/02/2008 - 17h23

"Tropa de Elite" conquista o Urso de Ouro em Berlim

Da Redação *
O filme brasileiro "Tropa de Elite", de José Padilha, foi o vencedor do Urso de Ouro de Melhor Filme em Berlim. O Urso de Prata ficou com o documentário sobre tortura em em Abu Ghraib "Standard Operating Procedure", do norte-americano Errol Morris.

"É difícil expressar sentimentos em qualquer língua. Costa-Gavras é um herói para todos na América Latina, por todos os filmes que fez", disse o diretor brasileiro ao receber o prêmio das mãos do presidente do júri, o diretor franco-grego Constantin Costa-Gavras.

Apesar da recepção majoritariamente negativa que teve na mídia internacional --a produção brasileira chegou a ser chamada de "fascista" pela revista americana "Variety"--, "Tropa de Elite" desbancou os favoritos "Sangue Negro", de Paul Thomas Anderson, e a comédia "Happy-Go-Lucky", de Mike Leigh.

Na coletiva de imprensa após a entrega do prêmio, José Padilha afirmou que o Urso de Ouro era uma "vitória do estilo brasileiro de filmar". Um dia antes, na sexta-feira (15), o diretor havia respondido às críticas internacionais dizendo que, independente de se gostar ou não de "Tropa de Elite", o importante é o debate que o filme teria causado.

Além do filme de Padilha, mais uma produção brasileira foi premiada em Berlim: Daniel Ribeiro recebeu o Prêmio Geração 14 Plus, voltado ao público jovem, pelo curta-metragem "Café com Leite".

O último filme brasileiro a vencer um Urso de Ouro foi "Central do Brasil", de Walter Salles, em 1998.

Estratégia internacional
A vitória de "Tropa de Elite" em Berlim faz parte de uma estratégia da Weinstein Company, que detém os direitos do filme fora do Brasil. Os irmãos Bob e Harvey Weinstein (ex-donos da Miramax) resolveram retirar o filme de do Festival de Sundance, em janeiro, para fazê-lo competir na Berlinale e no Festival de Cannes, que acontece em maio.

Dessa forma, "Tropa de Elite", pelo menos por enquanto, opta por uma carreira européia -- ainda mais depois de ser preterido na indicação nacional ao Oscar por "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias", de Cao Hamburguer, que não chegou à seleção final. Em setembro, enquete realizada pelo UOL apontou que 61,64% dos internautas indicariam o filme de José Padilha como candidato brasileiro ao Oscar.

Sucesso popular
Antes mesmo de sua estréia no Brasil, dia 5 de outubro de 2007, o filme "Tropa de Elite" já era um dos mais comentados da história do cinema brasileiro, por causa da inédita pirataria de cópias não-finalizadas do longa-metragem. Mesmo assim, o foi o filme brasileiro mais visto de 2007, encerrando o ano com 1,9 milhão de pagantes nos cinemas (a estimativa de cópias piratas vendidas é de 11,5 milhões).

O sucesso popular de "Tropa de Elite" foi tamanho que camelôs do Rio de Janeiro e São Paulo chegaram a distribuir "continuações" do filme, na verdade vídeos institucionais produzidos pelo Bope (Batalhão de Operações Especiais, divisão da Polícia Militar carioca da qual faz parte o Capitão Nascimento, protagonista do filme) para confrontar os vídeos produzidos pela facção criminosa Comando Vermelho e distribuídos nas favelas cariocas.

A vocação pop do filme se expressou de várias formas: fantasias de "Tropa de Elite" foram o grande sucesso no Carnaval de 2008, os MCs Cidinho e Doca (autores do "Rap das Armas", trilha das primeiras cenas do filme) passaram a fazer shows na em todo país e o quadro-paródia "Bofe de Elite" fez com que o programa do humorista Tom Cavalcante, na Record, ocupasse freqüentemente a liderança no Ibope.

Polêmicas
"Tropa de Elite" também foi alvo de críticas no Brasil, por conta da maneira como trata temas polêmicos como a violência policial no combate ao crime, a responsabilidade dos compradores de drogas e a suposta hipocrisia das passeatas de paz organizadas pela classe média. Diversas vezes o diretor José Padilha e o protagonista Wagner Moura tiveram que defender-se da acusação de "fascismo" e apologia à violência no filme - a ponto do ator, ainda em outubro, já se dizer cansado de responder às mesmas críticas.

Assista à reportagem do UOL News com Rodrigo Pimentel, ex-capitão do Bope que colaborou no roteiro do filme:


  • Grupo de discussão COMENTE E ENVIE O VÍDEO


  • (* Com agências internacionais)

    Compartilhe:

      Siga UOL Cinema

      Sites e Revistas

      Arquivo

      Hospedagem: UOL Host