UOL Entretenimento Cinema
 
06/04/2010 - 07h00

"Falamos exatamente a mesma língua", diz Tina Fey sobre Steve Carell

ANA MARIA BAHIANA
Especial para o UOL, de Los Angeles, EUA
  • Tina Fey e Steve Carell em cena de ''Uma Noite Fora de Série''

    Tina Fey e Steve Carell em cena de ''Uma Noite Fora de Série''

Claire e Phil, um casal classe média atarefado com trabalho e filhos, decide quebrar sua rotina estressante e dedicar uma noite inteiramente ao romance em ''Uma Noite Fora de Série". Como nos primeiros tempos de namoro, os dois se produzem com capricho e partem para Manhattan antecipando glamour e prazer. Em vez disso encontram violência, pânico e todo tipo de encrenca.

A premissa lembra alguma coisa de "Forasteiros em Nova York" (Arthur Hiller, 1970), onde os planos igualmente românticos de Jack Lemmon and Sandy Dennis eram implacavelmente virados pelo avesso, mais uma pitada generosa do absurdismo nervoso de "Depois de Horas", de Martin Scorsese (1985). Mas o que torna esta nova aventura especialmente saborosa é o casal de protagonistas: Tina Fey como Claire e Steve Carell como Phil. Provavelmente os dois maiores comediantes da TV americana, agora – ela em "30Rock", ele em "The Office" – Fey e Carell nunca haviam trabalhado juntos, embora tivessem a mesma raiz profissional: o grupo de comédia Second City, de Chicago. “ Vi Steve pela primeira vez 17 anos atrás, quando ele já era um dos nomes mais importantes da trupe”, Fey diz. “Eu estava no primeiro ano da faculdade e sonhava algum dia poder pisar naquele palco.” Um ano depois Fey estava na escolinha de improvisação e comédia de Second City. “O fato de Steve e eu termos a mesma base na improvisação foi providencial neste filme”, Fey acrescenta. “Falamos exatamente a mesma língua.”

MAKING OF DE ''UMA NOITE FORA DE SÉRIE''

A idéia de reunir o casal foi do diretor Shawn Levy (Uma Noite no Museu), e os dois tiveram a mesma resposta – “Eu disse: só faço se ela aceitar também”, Carell conta. “A sorte é que ela disse a mesma coisa. Temos estilos absolutamente complementares – Tina é uma arma de precisão em termos de comédia verbal, e eu tenho uma tendência para a comédia física.”

Consciente do estilo dos dois, Shawn Levy deixou-os à vontade para improvisar a partir do roteiro, seguindo a idéia central da confusão de identidades que desfecha toda a trama. “Era muito bom”, diz Carell. “Porque ficávamos sempre ligados. Tínhamos a base de uma situação e íamos adiante, naturalmente. Tina sempre jogava coisas engraçadas e imprevisíveis na mistura, mas sempre com aquele jeito sério dela.” Uma das principais “vítimas” do improviso Fey/Carell foi a dupla James Franco/ Mila Kunis, que faz um jovem casal a quem Claire e Phil pedem ajuda. “Eles foram ótimos”, diz Carell. “Cada coisa que um de nós dizia eles aproveitavam e jogavam num outro nível. Tive pena só de Shawn – perdemos horas de filme porque todo mundo estava estourando de rir.”

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo

    Hospedagem: UOL Host