UOL Entretenimento Cinema
 
11/05/2010 - 07h02

"Se o Clint [Eastwood] conseguiu, porque eu não posso", diz Vicente Amorim sobre "Corações Sujos"

ALESSANDRO GIANNINI
Editor de UOL Cinema
  • Sasaki (Shun Sugata, O Último Samurai e Kill Bill) nas gravações do filme ''Corações Sujos'', nos estúdios de Paulínia

    Sasaki (Shun Sugata, "O Último Samurai" e "Kill Bill") nas gravações do filme ''Corações Sujos'', nos estúdios de Paulínia

No quarto longa-metragem como diretor, Vicente Amorim aposta em uma combinação ambiciosa. Ao adaptar para o cinema o livro "Corações Sujos", romance reportagem de Fernando Morais sobre uma comunidade de imigrantes japoneses no Brasil que se recusava a acreditar na derrota do Japão, no fim de 2ª Guerra Mundial, Amorim transformou a história real em um romance com a estrutura de thriller. E de quebra foi buscar os astros de seu elenco no país do Sol Nascente.

Amorim comprou os direitos de adaptação de "Corações Sujos" há sete anos. Um dos primeiros desafios enfrentados por ele foi traduzi-lo para a linguagem cinematográfica. "Livros como 'Olga' e 'Chatô' são mais fáceis de se adaptar", disse o diretor, de Paulínia, em entrevista exclusiva por telefone ao UOL Cinema, após o quarto dia de filmagem. "O livro do Fernando Morais é uma reportagem, muito bem escrita. Mas se eu fosse verter aquilo em imagem, na melhor das hipóteses faria no mínimo uma minissérie." Encontrar um recorte foi a primeira tarefa que se colocaram o cineasta e o roteirista David França Mendes. "Isso não foi fácil", completou ele. "Até chegar a um roteiro que nos deixasse satisfeito foram 3 anos."

  • Divulgação

    Vicente Amorin assiste ao resultado das filmagens ao lado do ator Tsuyoshi Ihara e da equipe

"Corações Sujos" tem um núcleo central de oito personagens, cinco dos quais interpretados por japoneses e três por brasileiros. O par romântico central é formado por duas celebridades, a atriz Takako Tokiwa, uma espécie de Glória Pires do star system japonês, e o ator Tsuyoshi Ihara, que atua desde os 8 anos de idade. Ela faz o papel de uma professora primária e ele um fotógrafo que, no fim da 2ª Guerra Guerra Mundial, em meados dos anos 40, se envolve com uma célula de imigrantes japoneses que se recusa a acreditar que o Japão foi derrotado.

Amorim está trabalhando com a ajuda de Yutaka Tashibara, produtora de elenco que trabalhou junto a Clint Eastwood na direção de atores em "Cartas de Iwo Jima". A produtora também ajudou na versão do roteiro de França Mendes para o japonês, adaptando-o para uma estrutura mais adequada à prosódia e aos modos japoneses. "Não se trata de uma simples tradução", conta Amorim. "Ela praticamente nos ajuda a dirigir o filme, porque tem que traduzir - eles falam muito pouco inglês - e encontrar o tom certo. Se o Clint [Eastwood] conseguiu, porque eu não posso."

Com previsão de terminar neste dia 20 de maio, as filmagens de "Corações Sujos" estão sendo documentadas por Amorim em um blog de produção, recém-lançado por em parceria com o UOL Cinema, que revela bastidores das filmagens, curiosidades e, recentemente, mostrou uma das cenas de maior impacto do filme. Trata-se da morte de Sasaki (Shun Sugata, "O Último Samurai" e "Kill Bill"), cheio de sangue sobre um estoque de algodão.

Um álbum de fotos acompanha o texto e mostra, além de cenas dramáticas - quando a esposa de Sasaki, vítima de uma gangue, encontra seu corpo -, o trabalho dos bastidores, incluindo o do diretor Amorim e o da atuação dos dublês nas filmagens em Paulínia, interior de São Paulo (veja aqui o álbum de fotos). O lançamento de "Corações Sujos" está previsto para 2011.

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo

    Hospedagem: UOL Host