UOL Entretenimento Cinema
 
15/11/2010 - 07h02

"Eu gosto de ser o mocinho", diz Bruce Willis sobre seus papéis no cinema

CINDU PERLMAN*
Do Hollywood Watch
  • Bruce Wiilis interpreta o agente Frank em RED - Aposentados e Perigosos

    Bruce Wiilis interpreta o agente Frank em "RED - Aposentados e Perigosos"

Em "Red -Aposentados e Perigosos", com estreia prevista no Brasil em 12 de novembro, Bruce Willis é Frank Moses, um ex-agente secreto que está vivendo uma aposentadoria tranquila, tediosa. Mas sua paz é arruinada quando um esquadrão de alta tecnologia arrasa sua casa em uma tentativa de matá-lo. Com o fim de seu anonimato, ele precisa cair na estrada, acompanhado pela mulher que estava cortejando (Mary-Louise Parker), para reunir sua antiga equipe da CIA e descobrir por que todos eles agora estão marcados para morrer. A equipe inclui Victoria (Helen Mirren), Joe (Morgan Freeman) e o maluco Marvin (John Malkovich). "Eu não imaginava que este papel se tornaria tão divertido quanto foi", diz Willis. "Ou que receberia as ótimas críticas que vem recebendo".

"Red" é baseado em uma minissérie em quadrinhos da DC Comics - o título é uma sigla para "Retired, Extremely Dangerous" [aposentado e extremamente perigoso] - que Willis desconhecia até se envolver com o filme. "Eu estou menos familiarizado com a minissérie do que a maioria do elenco", ele reconhece. "Mas o que gosto em graphic novels é que elas têm um ótimo senso de melodrama. Ela tem apenas 65 páginas, mas serviu com um ótimo ponto de partida. Ela nos mostrou com o que poderíamos escapar impunes e com que não - nós apenas enriquecemos as páginas."

ASSISTA AO TRAILER DE "RED - APOSENTADOS E PERIGOSOS"



O lado cômico de Willis está evidente desde seus tempos de "A Gata e o Rato" (1985-1989), mas desta vez as risadas estão principalmente em outras mãos - o que ele diz não ser um problema para ele."Eu sou o cara sério neste aqui. A pessoa que é engraçada só o é graças à pessoa que prepara a piada. Eu gosto de ser engraçado, mas também gosto de preparar."

Mas a ação ainda é o seu departamento, incluindo uma batalha brutal com um agente mais jovem da CIA, interpretado por Karl Urban. À medida que ele envelhece, diz Willis, as sequências de ação exigem cada vez mais dele. "Vamos encarar os fatos", diz ele. "Eu levei a maior surra durante minha cena de luta com o Karl. Eu ainda estou sentindo as dores." Mas como enfrentar tantas cenas de luta sem se machucar seriamente? "Trata-se de manter o contato visual. Mantendo esse contato de olhos nos olhos em uma cena de luta, a pessoa sabe o que virá e quando", explica ele.

Ex-barman natural de Nova Jersey, Willis ganhou fama interpretando o detetive particular David Addison no seriado "A Gata e o Rato" e então lançou uma longa carreira cinematográfica que teve como destaque - até o momento - o sucesso "Duro de Matar" (1988), que gerou três sequências, o seminal "Pulp Fiction" (1994), de Quentin Tarantino, e o assustador "O Sexto Sentido" (1999), de M. Night Shyamalan. Ao longo do caminho ele também obteve certa credibilidade como músico, emplacando um sucesso na parada Billboard com "Respect Yourself" (1986), com boas críticas para a turnê de 2002 com seu grupo, Bruce Willis and the Blues Band.

MOMENTOS DO ATOR NO CINEMA

  • Divulgação

    Em cena do filme "O Sexto Sentido", com Haley Joel Osment (à esq.)

  • Divulgação

    Enfrentando ciberterroristas em "Duro de Matar 4.0" (2007)


"A melhor coisa na minha vida agora é que faço muitos filmes e eles nunca são exatamente os mesmos", diz Willis. "Eu posso misturar filmes grandes e pequenos. A maioria deles envolve lutas e ação. Eu não estou fazendo nada novo neste sentido, mas ainda assim adoro. São mocinhos derrotando os bandidos. Eu gosto disso. Eu gosto de ser o mocinho."

Willis concluiu recentemente as filmagens de "The Cold Light of Day,", que ele filmou na Espanha, e está preparando um filme de ficção científica chamado "Looper". Enquanto isso, está nos cinemas com "Os Mercenários", escrito e dirigido pelo colega superastro de ação dos anos 80, Sylvester Stallone.

A cena que o público mais gosta no filme é uma que conta com Stallone, Willis e, em uma ponta, Schwarzenegger. Stallone disse que a ideia para a cena foi de Willis, mas ele não se recorda dessa forma. "Eu entrei naquele filme ao dar uma dura no Sly e dizer: 'Por que não posso estar nesse filme? Por que você não me chama?'", diz Willis. "Então Sly mencionou a presença do governador no filme. Eu acho que foi ideia dele fazermos aquela cena."

Fazer filmes de ação não fica mais fácil com o passar dos anos, diz Willis. "Sly fez todos parecerem ótimos no filme. E Sly apanhou e se machucou fazendo o filme. Agora, eu telefono apenas para dizer oi e ele me diz: 'Bruce, algum dia você também não vai mais pular tão alto'."

Mas se Willis está incomodado por envelhecer, ele não demonstra. Ele está feliz com sua nova esposa, Emma Heming, e continua envolvido ativamente na criação de suas três filhas com a ex-esposa Demi Moore. "Eu estou feliz e contente. Envelhecer é o que todos nós estamos fazendo no momento. Durante esta entrevista, segundos, minutos, horas se passaram. Só há uma coisa que é possível fazer a respeito. Você pode começar a viver plenamente já. Eu apenas tento me divertir todo dia."

* (Cindy Pearlman é uma jornalista free-lance baseada em Chicago.)

Tradução: George El Khouri Andolfato

Siga UOL Cinema

Sites e Revistas

Arquivo

Hospedagem: UOL Host