24/05/2011 - 07h00 / Atualizada 24-05-2011

Sequência de "Se Beber, Não Case" só mudou de país

EDUARDO GRAÇA
Colaboração para o UOL, de Los Angeles

Não estranhe se você sair, para o bem e para o mal, com a sensação de que já viu "Se Beber, Não Case 2", com estreia marcada para esta sexta (25). O esqueleto da trama, mais uma vez sob a batuta do diretor Todd Phillips, é extremamente similar ao título original, uma das maiores surpresas de 2009, quando quebrou todos os recordes de público para comédias adultas nos EUA e se tornou uma unanimidade entre a crítica norte-americana.

Pense no segundo tomo da série como "Se Beber, Não Case" com esteróides. Desta vez, o casamento é o do dentista Stu (o ótimo Ed Helms, o Andy de "The Office). Sai Las Vegas, entra Bangcoc (antes da Tailândia, Phillips chegou a cogitar ter o Rio de Janeiro como cenário da nova aventura dos encrenqueiros de plantão).

O Phil, de Bradley Cooper, continua tentando resolver os problemas dos amigos; o Alan, de Zac Galifianakis, é o doce tonto da trupe; e, para a alegria dos fãs da marca, o hilário Mr.Chow ganha mais espaço em um enredo que gira em torno - adivinhe - de uma amnésia geral e o desaparecimento de um amigo (desta vez o jovem irmão da noiva, vivido por Mason, filho do diretor Ang Lee) depois de uma noitada daquelas. Curiosidade: Paul Giamatti faz uma ponta encarnando um vilão (será mesmo?) asqueroso.