Rooney Mara e Daniel Craig em cena de "Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres", de David Fincher

Rooney Mara e Daniel Craig em cena de "Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres", de David Fincher

23/01/2012 - 07h00

"A parte do estupro foi a mais difícil", diz Rooney Mara sobre sua atuação em "Millennium"

Edu Fernandes
Do UOL, em Cancún*

A história de “Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres” gira em torno de um caso de assassinato, nos moldes dos livros de Agatha Christie. O que difere a trama dos romances da autora inglesa é o tema de agressão contra as mulheres, presente em vários momentos. Por essa razão, cenas de violência estão no filme que chega aos cinemas brasileiros no dia 27 de janeiro.

“Eu não acho que devemos parar de fazer filmes porque eles irão chocar a plateia”, disse o diretor David Fincher (“Seven”) por video-conferência realizada em evento de divulgação do filme em Cancún, no México. “Queria fazer algo para o público adulto”.

No filme, Daniel Craig (“Cowboys & Aliens”) interpreta Mikael, um jornalista contratado para esclarecer a morte de uma jovem da alta sociedade sueca que aconteceu há 40 anos. “Tivemos sorte porque não nos seguramos em uma história com tanta escuridão e elementos negativos”, disse o ator em conversa com a imprensa.


Ao contrário do repórter de Craig, a hacker Lisbeth Salander que auxilia Mikael na investigação, vivida por Rooney Mara (“A Rede Social”), sente na pele as atrocidades que deixam a história mais densa. “Cada cena foi um desafio”, relatou. “A parte do estupro foi a mais difícil”.

“Os Homens que Não Amavam as Mulheres” é a adaptação do primeiro volume da trilogia escrita por Stieg Larsson. “Os livros são muito populares e eu queria lhes fazer justiça”, diz Fincher. Daniel Craig também teceu elogios à obra do autor sueco. “Quando li o livro, eu me identifiquei com os personagens”.

Apesar de todos em cena falarem inglês, o filme manteve-se fiel às suas locações e a história da adaptação cinematográfica também se passa em Estocolmo, onde aconteceram parte das gravações. “Esse filme não podia acontecer em outra cidade”, explica o diretor.
“Estar na Suécia foi incrivelmente importante”, diz Daniel Craig. “Teve um efeito positivo, apesar do frio”.

TRAILER DE "MILLENNIUM - OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES"

 
Mudanças de Aparência
Para viver seus papéis em “Os Homens que Não Amavam as Mulheres”, os atores tiveram de passar por transformações físicas. Daniel Craig precisou engordar. “Eu estava preparado para ganhar peso”, disse. “Quando eu tiro a camisa nesse filme eu não posso parecer James Bond”.

Com Rooney Mara, o processo foi inverso e mais intenso. A atriz perdeu peso e colocou alguns piercings reais, além de participar da escolha da tatuagem de dragão, marca registrada de Lisbeth. “Passamos uma semana para escolher o dragão”, afirmou. “A aparência foi o último elemento para entrar no personagem”. Apesar de tudo, Rooney vê vantagens no processo. “Foi libertador passar um ano sem me preocupar com minha aparência”.

* O repórter viajou a Cancún a convite da Sony Pictures.