A ex-lutadora de MMA Gina Carano em cena do filme "À Toda Prova", de Steven Soderbergh

A ex-lutadora de MMA Gina Carano em cena do filme "À Toda Prova", de Steven Soderbergh

01/02/2012 - 07h00

Depois de perder para brasileira, ex-lutadora de MMA Gina Carano interpreta mercenária em filme de Soderbergh

Ian Spelling
Do New York Times, em Nova York

Milhões de pessoas ao redor do mundo provavelmente sonham que algum dia um grande cineasta apareça e convide-as a estrelar em um filme. Gina Carano não era uma delas.

De fato, a bela, feroz e popular lutadora de artes marciais quase deixou de ir a um almoço com Steven Soderbergh, um encontro que a levou diretamente ao papel principal em “À Toda Prova”, um drama de espionagem que ele dirigiu e adaptou especialmente para ela.

Eu realmente estava concentrada na minha carreira de lutadora, de modo que nunca pensei em representar.

Gina Carano, ex-lutadora de MMA


“Eu realmente estava concentrada na minha carreira de lutadora, de modo que nunca pensei em representar”, diz Carano. “Você sempre acha que esse tipo de coisa seria incrível, mas nunca achei que aconteceria.”

Então aconteceu. Carano perdeu uma luta muito badalada de MMA (sigla em inglês de artes marciais mistas) para a brasileira Cyborg (Cristiane Santos) em agosto de 2009, sofrendo um nocaute devastador no primeiro round. Abatida e exibindo um olho roxo horrível, Carano estava dirigindo pela costa, de San Jose para San Diego, quando o agente dela telefonou dizendo que um diretor queria encontra com ela.

“Eu disse: ‘Não, eu não quero me encontrar com ninguém no momento’. Ele disse: ‘Não, eu acho que você realmente precisa ir neste’”, conta Carano, falando por telefone de sua casa em Las Vegas, onde ela mora desde os 10 anos de idade.

“Ele me disse que Steven tinha dirigido ‘Traffic’ (2000), que sempre foi um filme especial para mim. Então Steven tomou o trem de Los Angeles para San Diego e eu o peguei na estação. Ele é um sujeito comum, com óculos, jeans e de chapéu. Nós almoçamos por quatro horas e ele disse: ‘Olha, eu gostaria de fazer um filme com você’. E eu aceitei.”


Com estreia no Brasil prevista para 30 de março e em cartaz nos Estados Unidos desde 20 de janeiro, “À Toda Prova” conta com Carano no papel de Mallory Kane, uma agente secreta free-lance que, após ser traída durante uma missão, luta para encontrar uma saída e se vingar daqueles que a traíram. O elenco impressionante inclui Michael Angarano, Antonio Banderas, Michael Douglas, Michael Fassbender, Ewan McGregor, Bill Paxton e Channing Tatum.

“Steven me disse, quando o conheci, que ainda não tinham um roteiro”, lembra Carano. “Ele disse que queria fazer um filme de ação realista, como na vida real. O roteiro foi escrito depois que ele me conheceu e Steven queria que ele fosse escrito para combinar com a minha personalidade. Acabou sendo o completo oposto de mim, porque Mallory Kane tem uma personalidade dominante, franca e muito organizada. Eu sou totalmente o oposto disso, de modo que foi preciso realmente representar.”

Os dublês me diziam: 'Tomara que você não tenha nenhuma luta em breve. Nós vamos arruinar toda a sua técnica'.

Gina Carano, sobre as cenas de luta em "À Toda Prova"


Carano, que tem 29 anos, iniciou sua carreira no MMA em 2006 e passou inúmeras horas em ringues de combate chutando, socando, rolando, saltando e treinando. Mas em “À Toda Prova”, ela foi ordenada a fazer isso em sequências breves, com a câmera próxima e dizendo diálogos roteirizados.

“Tudo é muito mais exagerado. Os dublês brincavam comigo. Eles diziam: ‘Tomara que você não tenha nenhuma luta em breve, porque seus treinadores vão nos matar. Nós vamos arruinar toda a sua técnica’. Tudo tinha que ser extremamente exagerado, mas a adrenalina foi a mesma e adorei o processo [de filmagem], com as paradas constantes, porque em combate não dá para refazer nada.”

“Eu realmente não me incomodei com a câmera em cima de mim, porque tive câmeras em cima de mim por anos enquanto lutava. Eu fiquei realmente à vontade fazendo ação diante de uma câmera. E os atores que trabalharam comigo eram fenomenais. Eles me ajudaram a manter meu foco e atenção e eu realmente tentei me manter à altura. Todos eles queriam fazer suas próprias cenas de ação e todo mundo queria fazer cenas de luta comigo.”


“Essa foi a parte legal. Com a ação física, eu senti que tinha algo a oferecer, equilibrando todos os relacionamentos. Eu não sabia o que estava fazendo em termos de cinema, mas sabia o que estava fazendo em termos de ser fisicamente violenta. Logo, eles estavam nas minhas mãos quando se tratava de ação, e eu estava nas mãos deles quando se tratava de representação, o que foi uma troca bacana.”

Agora que o filme está pronto, Carano tem que pensar nos próximos passos de sua vida e de sua carreira. Ela não luta desde a derrota em 2009 para Cyborg, tendo adiado de modo misterioso e controverso uma luta marcada para abril de 2011 e ela nem mesmo sabe se voltará a lutar. O cinema é realmente uma opção atraente.

Quanto às lutas, eu ainda não decidi o que quero fazer. Eu tenho tentado forçar a mim mesma a voltar à jaula nos últimos anos, mas por algum motivo eu continuo me afastando dela.

Gina Carano, sobre voltar a lutar


“Quanto às lutas, eu ainda não decidi o que quero fazer. Eu tenho tentado forçar a mim mesma a voltar à jaula nos últimos anos, mas por algum motivo eu continuo me afastando dela. Assim, no momento, eu apenas decidi ver o que acontece [com “À Toda Prova”] e então seguir a partir daí. Não é algo que eu posso forçar.”

“Nós estamos definitivamente procurando por outro filme que eu possa fazer e temos algumas opções divertidas, incluindo um filme baseado em histórias em quadrinhos chamado ‘Adrenaline’, que está bem próximo.”

“Independente do que aconteça, eu simplesmente amo me expressar criativamente e quero fazê-lo de modo físico o máximo que puder”, diz Carano. “Era assim com as lutas, e agora com este filme, que tomara que abra mais portas.”

“Eu apenas quero um canal que me permita me sustentar e ser criativa ao mesmo tempo.”

Tradução: George El Khouri Andolfato