08/02/2012 - 10h34

Filmes "conservadores" ganham mais dinheiro do que "liberais", segundo pesquisa de site americano

  • "Se Beber, Não Case 2" é uma das exceções apontadas no estudo

    "Se Beber, Não Case 2" é uma das exceções apontadas no estudo

De acordo com um estudo conduzido pelo site Movieguide, filmes conservadores – que promovem valores tradicionais como o cristianismo, o patriotismo e a família – costumam fazer mais dinheiro do que seus concorrentes liberais. A informação foi divulgada pela revista “The Hollywood Reporter”

A pesquisa feita pelo site, que se define como “o guia da família cristã para filmes e entretenimento”, foi baseada em mais de 25 critérios, tais como presença de violência, sexo, revisionismo histórico, ambientalismo, feminismo, homossexualidade e outros temas polêmicos. Nem o título escapa: também é avaliado se ele promove o capitalismo ou o socialismo e se ele denigre os princípios bíblicos.

Dentro dessa classificação, 91 filmes foram enquadrados como “conservadores” e 105, como liberais.  Apesar da desvantagem numérica, o primeiro grupo arrecadou uma média de US$ 59 milhões por filmes nas bilheterias. No segundo, o valor cai drasticamente, para US$ 11 milhões por longa.

Entre os maiores sucessos de bilheteria, as exceções mais notáveis ao modelo conservador foram “Se Beber, Não Case 2”, com US$ 581 milhões, e “Amanhecer - Parte 1”, com US$ 702 milhões. O site afirmou que ambos trazem “comportamento obsceno” e “visões radicais do mundo”.

Para o editor do site, Ted Baehr, “a maior parte do público quer ver o bem triunfar sobre o mal”, o que explicaria o sucesso de filmes como “Batalha de Los Angeles”, “A Invenção de Hugo Cabret”e “Tão Forte e Tão Perto”.