24/02/2012 - 11h24

Sacha Baron Cohen ironiza Academia por proibição no Oscar

Sacha Baron Cohen ironizou o fato de ter sido impedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de aparecer caracterizado como o personagem de seu novo filme, “O Ditador”, na cerimônia do Oscar, que acontece domingo (26).

Incorporando seu personagem, o ditador da fictícia Wadyia, Cohen publicou nesta sexta-feira (24) um vídeo em que alfineta a proibição. “Estou ultrajado de ser banido. É um atentado a minha liberdade de expressão. Vocês irão enfrentar consequências inimagináveis”.

O ator foi ainda mais longe e brincou com nome de filmes: “Onde estão as indicações para clássicos como ‘Quando Harry Sequestrou Sally’ e ‘Você Tem Um Correio Bomba’?” Nem Hillary Swank escapou da brincadeira: “Paguei dois milhões para Hillary Swank ir como minha acompanhante e ela não irá fazer o reembolso”.

Confira o vídeo abaixo (em inglês)