O comediante Sacha Baron Cohen chega à cerimônia do Oscar 2012 vestido como "O Ditador" e segurando uma urna representando as cinzas do ditador coreano Kim Jong Il; ele jogou as cinzas sobre o apresentador do "E!", Ryan Seacrest (26/2/12)

O comediante Sacha Baron Cohen chega à cerimônia do Oscar 2012 vestido como "O Ditador" e segurando uma urna representando as cinzas do ditador coreano Kim Jong Il; ele jogou as cinzas sobre o apresentador do "E!", Ryan Seacrest (26/2/12)

29/02/2012 - 20h32

Após ser "expulso" do Oscar, Sacha Baron Cohen renova contrato com a Paramount

Após usar o tapete vermelho do Oscar, no domingo (26), para promover seu novo filme "O Ditador", o ator Sacha Baron Cohen renovou com a Paramount Pictures. O estúdio assinou um contrato para cuidar do próximo trabalho de Cohen, que irá produzir e atuar. 

Além disso, a Paramount será a primeira empresa a avaliar os projetos da produtora do ator, Four By Two Films, nos próximos três anos. "Sacha é um gênio da comédia, um roteirista, ator e cineasta de grande talento, além de uma extraordinária estrela mundial da comédia", afirmou o presidente e diretor-geral da Paramount Pictures, Brad grey.

"O Ditador" tem estreia prevista para 11 de maio nos Estados Unidos.

Expulso do Oscar

Vestido como o personagem do general Aladeen, Sacha Baron Cohen esvaziou uma urna que conteria as cinzas de Kim Jong Il no apresentador de TV americano Ryan Seacrest, durante o tapete vermelho que antecedeu a festa do Oscar 2012.

Sacha Baron Cohen foi escoltado para fora do tapete vermelho esta noite, no que parecia ser um golpe publicitário para seu novo filme, "O Ditador".
  
Na cerimônia, Baron Cohen apareceu ao lado de duas mulheres "guarda-costas", carregando uma urna de ouro supostamente contendo as cinzas do líder norte-coreano Kim Jong-il. Baron Cohen, em seguida, esvaziou a urna no apresentador da emissora E! Ryan Seacrest.

Baron Cohen foi, então, convidado a sair do tapete vermelho, mas antes permitiram que ele posasse para fotos. Ele seguiu para uma sala reservada, onde teria trocado de roupa para assistir a cerimônia "à paisana".

Baron Cohen tinha se envolvido em uma suposta polêmica com a Academia, depois que eles se opuseram a seu plano para aparecer como o personagem na cerimônia de premiação. Baron Cohen respondeu acusando-os de serem os "sionistas" em uma aparição gravada na NBC.