Cena de "American Pie: O Reencontro", com Stiffler (Seann William Scott) ao centro

Cena de "American Pie: O Reencontro", com Stiffler (Seann William Scott) ao centro

19/04/2012 - 07h00

Novo "American Pie" surgiu da vontade de fazer comédia sobre reencontros de colégio, diz ator

Cindy Pearlman*
Do The New York Times

São 19h em Nova York e as luzes estão se apagando em um cinema. Um silêncio cheio de expectativa toma conta do público da pré-estreia, enquanto o filme começa a ser exibido. Após sete minutos de projeção, um rosto aparece na tela, um rosto com um sorriso torto e malandro que só poderia pertencer a um único personagem na história do cinema. O público explode em vivas e comemoração. "Stifler", eles gritam, com alguns poucos homens jovens erguendo o punho no ar. "Stifler! Stifler!"

Seann William Scott está de volta e ele está exatamente onde os fãs o querem: recriando o papel de Steve Stifler, o festeiro de Michigan que ele interpretou pela primeira vez em "American Pie –A Primeira Vez é Inesquecível" (1999), com o qual injeta adrenalina ao andamento de "American Pie: O Reencontro", o quarto filme da série.

Apesar de estar voltando à série, para o público ele nunca partiu. "Eu estive no Canadá na semana passada, e todo mundo gritava, 'Stifler, Stifler!' quando eu passava na rua. Eu acho que eles não perceberam que se trata apenas de um personagem que eu interpretei. Eu não sou aquele sujeito. E tem mais uma coisa –tenho 35 anos agora!"

"Mas eu sempre serei o Stifler", ele reconhece durante uma entrevista por telefone nas ruas de Nova York, onde ele estava dirigindo de uma aparição na televisão para outra. "Eu estou passando por uma espécie de crise de identidade –ou tenho uma desde que um certo filme estreou em 1999."

O Reencontro
"American Pie: O Reencontro" reúne o elenco do primeiro "American Pie" na reunião de 10 anos do colégio. Jason Biggs, John Cho, Alyson Hannigan, Chris Klein, Natasha Lyonne, Thomas Ian Nicholas, Mena Suvari e Eddie Kaye Thomas estão todos de volta para mais, assim como Eugene Levy, como o pai absurdamente apoiador de Jim, e Jennifer Coolidge, como a mãe sensual de Stifler.

Quanto a Stifler, diz Scott, ele ainda é o mesmo: "Todos os seus amigos têm empregos. Eles se casaram. Alguns deles têm filhos ou 'todo aquele lixo estúpido', segundo Stifler. Todo mundo cresceu. Ele é aquele que ainda resiste." Como resultado, ele perdeu contato com o velho grupo.

"O que ele exatamente fez ao longo da última década é meio que um mistério. Você percebe que o restante do pessoal meio que perdeu contato com ele. Ninguém sabe realmente o que esperar do Stifler."

"Ele está passando por um momento difícil. Ele não se encaixa na sociedade, porque não mudou nada. Na verdade, ele regrediu. Ele é aquele sujeito que apenas fica sentado aguardando pelo reencontro da turma desde o dia em que se formou no colégio. Ele mal pode esperar para ver a velha gangue e agitar as coisas. Mas o que ele descobre é que todo mundo mudou, exceto ele."

Scott tem parte do crédito pela própria existência do novo filme. Foi ele quem apresentou a ideia para o longa: "Eu tive a chance de passar um bom tempo com todo o elenco ao longo dos anos, apesar de fazer alguns anos que não via algumas pessoas. Nossa última sequência saiu em 2003. Então, dois anos atrás, eu apresentei a ideia para este filme, porque faz tempo que não há uma grande comédia sobre reencontros do colégio. Eu pensei: 'Que ótima forma de reunir todo mundo'."

Assim como nos filmes anteriores de "American Pie", os risos são frequentes –e frequentemente por humor rude– mas a essência do filme é o sentimento humano real. "Aquele reencontro de 10 anos da turma do colégio é um momento bastante comovente na vida de muitas pessoas. É aquele momento onde você se pergunta, talvez pela primeira vez, 'Eu realmente estou onde achei que estaria a esta altura da vida?' É um momento de crise de idade!"

E quanto ao humor rude? Há bastante, promete Scott, incluindo uma homenagem à famosa cena da torta na cozinha, que dava ao filme original seu título. "Massa abusada, sim", diz Scott às gargalhadas. "Eu não vou dizer como ou por que acontece, mas há uma torta que é completamente destruída em 'American Pie: O Reencontro'."

  • Divulgação

    Seann William Scott em cena de "Goon"

Goon
Outro filme de Scott chega aos cinemas junto de "American Pie: O Reencontro". "Goon" é um filme sobre hóquei, mas Scott diz que o longa agradará "não apenas aos fãs de hóquei". Ele interpreta Doug Glatt, um porteiro de bar que é a ovelha negra de sua família bem-sucedida, até que pega um grupo de desajustados e os transforma em um time de hóquei semiprofissional vencedor.

"É um filme bastante interessante, porque não dá para dizer se é um filme de hóquei ou uma comédia de esportes. No fundo é uma história de azarão. E tem um pouco de humor picante. O que parece diferente e vai além da maioria dos filmes de esporte é que o personagem que interpreto aqui é um sujeito incrivelmente doce e bom", diz o ator. "Ele também é um sujeito simples. Ele vê o mundo em preto-e-branco. Ele tem um código de honra. Ele não é o sujeito mais inteligente, mas sabe o que é certo e o que é errado."

Scott foi atleta no colégio. Apesar de ter crescido em Minnesota, no coração do território de hóquei americano, esse nunca foi seu esporte favorito. Beisebol, basquete e futebol americano eram mais a sua praia. "É claro que todos os meus amigos jogavam hóquei. Mas não era meu esporte, então tive que me preparar bastante para o filme. A verdade é que nunca patinei muito na vida, o que podia ter se transformado em um problema."

Especialmente devido ao hóquei ser um esporte de alto contato, muito distante de patinação artística. Manter o equilíbrio sobre os patins foi apenas o início da curva de aprendizado do ator. "Eu já fiz cenas de luta pisando em terreno firme e, francamente, isso parece fácil agora. Aqui era usando patins, e não havia tempo para ensaio. Você desfere uns 30 golpes e tenta permanecer em pé nos patins. Foi brutal e exaustivo. Mas eu acabei de assistir o filme e acho que valeu a pena."

Scott está entre os membros mais bem-sucedidos do elenco de "American Pie". Após fazer sua fama como Stifler, ele fez uma série de filmes, incluindo "Premonição" (2000), "Caindo na Estrada" (2000), "Cara, Cadê Meu Carro?" (2000), "O Império (do Besteirol) Contra-Ataca" (2001), "Dias Incríveis" (2003), "Bem-vindo à Selva" (2003) e "Os Gatões –Uma Nova Balada" (2005).

Fora das telas as coisas também correram bem: Scott anunciou recentemente seu noivado com a ex-modelo da Victoria's Secret Lindsay Frimodt. "Eu ainda estou surpreso por ela ter dito sim", ele brinca.

Mas nem todos os seus filmes foram sucesso –seu último filme, a comédia "Tiras em Apuros" (2010) de Kevin Smith, foi um grande fracasso– mas o ator diz que tudo isso faz parte do jogo. "Eu adoro a promoção de 'Goon'. Ela se concentra no sujeito que está apenas se esforçando para manter seu emprego. Assim como a maioria das pessoas por aí, eu me identifico totalmente com essa luta. A maioria dos atores se sente apenas de um modo: nós simplesmente estamos gratos por termos um emprego."

TRAILER DE "AMERICAN PIE: O REENCONTRO"

 

*Cindy Pearlman é uma jornalista free-lance baseada em Chicago.

Tradução: George El Khouri Andolfato