A cantora Rihanna em cena do filme "Battleship - A Batalha dos Mares"

A cantora Rihanna em cena do filme "Battleship - A Batalha dos Mares"

10/05/2012 - 07h00

Diretor de "Battleship - A Batalha dos Mares" pediu para Rihanna falar palavrões no teste

Mariane Morisawa
Para o UOL, de Londres

O boné enterrado na cabeça quase não deixa ver, mas é Rihanna ali, enfiada num uniforme militar, de arma em punho ou pilotando um barco, em “Battleship - A Batalha dos Mares”, de Peter Berg, estreia desta sexta-feira (11). É a única mulher visível a bordo do navio comandado por Alexander Skarsgård, da série “True Blood”, que precisa lidar com seu irresponsável irmão, vivido por Taylor Kitsch, de “John Carter”, e com naves alienígenas gigantes. A cantora estreia no cinema com um papel de tamanho limitado, mas disse ao UOL, em Londres, que pretende aparecer mais na tela grande:

UOL - Você manifestou interesse no projeto?
Rihanna -
Sim, estava tentando um papel havia uns quatro ou cinco anos. Alguns eu simplesmente odiei, outros eram perfeitos, mas muito grandes para mim. Então disse não para várias coisas. Eu queria começar pequena. Queria aprender. Não queria ser protagonista.

UOL - Por que escolheu um filme de ação para ser seu primeiro grande papel no cinema?
Rihanna -
Nunca pensei em que tipo de filme queria fazer primeiro, quis tentar atuar para ver se gostava ou se era boa. Peter Berg me ligou falando sobre esse papel, que ele pensou ser perfeito para mim. Eu fui me encontrar com ele, que descreveu a personagem e me fez dizer coisas malucas, muitos palavrões, tipo “seu puto, você está morto, vai se f...” e todas essas coisas. Ele queria ver quão brava ou durona eu poderia ser. Aí me disse que eu era perfeita.

UOL - Que direção quer seguir?
Rihanna -
Quero fazer mais filmes, tentar coisas diferentes. Talvez uma comédia, realmente estou interessada nisso. Mais ação também, quem sabe?

UOL - Muitos cantores que fazem filmes cantam no cinema também. Por que não fez?
Rihanna -
Quero ficar longe disso. Teria de ser alguém que realmente significasse muito, um papel que não poderia recusar. Há dois personagens que não recusaria, não vou dizer quem. Não quero que as pessoas se confundam. Não quero que vejam Rihanna quando estou interpretando outros personagens. Não quero fazer a ligação entre os dois, jamais.

UOL - Foi bacana estar entre os homens? Você é praticamente a única mulher do filme.
Rihanna -
Eu sei. Foi divertido. Eu estou acostumada. Muitos dos meus amigos são homens e em Barbados cresci numa escola militar, com presença masculina forte.

UOL - O que você sabe fazer, em termos militares? Consegue desmontar uma arma?
Rihanna -
Tive de aprender muito sobre as armas que estava usando. Uma jovem chamada Cora Wicks estava lá na maior parte das filmagens no Havaí, passei muito tempo com ela, me ensinou muito sobre armas. Mas antes disso eu já sabia um pouco.

UOL - Gostaria de fazer um papel para mostrar seu lado delicado também?
Rihanna -
Definitivamente. Quero fazer comédia, talvez uma comédia romântica, quero tentar coisas que me deixem mais vulneráveis.

UOL - Não teria medo de mostrar sua vulnerabilidade?
Rihanna -
Não, de jeito nenhum. Pelo menos, acho que não, vamos ver (risos).

UOL - Acha que sua música vai ser influenciada por sua presença no filme?
Rihanna -
Não, são coisas bem separadas. Eu e minha música somos muito próximos. Ela é muito próxima da pessoa que sou e nos filmes jamais vou me interpretar, sempre vou fazer um personagem. Vou traduzir outra pessoa com meu corpo, e isso que é divertido para mim. Fingir.

UOL - É como se você estivesse se escondendo, então?
Rihanna -
Ah, não, o mundo foi inundado com minha personalidade (risos). É apenas outra maneira de me divertir, tentar outras coisas. É criativo e experimental. Adorei a experiência e agora estou ansiosa para fazer mais filmes.

TRAILER DE "BATTLESHIP - A BATALHA DOS MARES"

UOL - Foi difícil ter de obedecer um diretor?
Rihanna -
Não, foi fantástico, não havia pressão sobre mim. Eu realmente adorei isso. Foi uma experiência totalmente diferente comparada com a música. Todos os dias, há uma rotina, não estou acostumada a isso, normalmente estou num avião todos os dias, em fuso horários diferentes. Num filme, você fica no mesmo lugar por um longo período, começa a trabalhar todos os dias no horário de sempre, tem os fins de semana livres. Foi bem diferente para mim.

UOL - Você sempre parece tão confiante. Ficou insegura nos primeiros dias no set?
Rihanna -
Eu estava com tanto medo! Tanto! Quando fui ao set no primeiro dia, passei muito tempo com a especialista em armas. Eu até ouvi o que tinha no seu iPod para entrar no seu estado mental, pois ela escuta coisas malucas. Música que você nunca ouviu antes. Quando finalmente entrei no set, Peter Berg me jogou lá, não me deu tempo de pensar. Eu já estava sendo dirigida e me senti muito confortável. Não deve ser sempre assim. Só trabalhei com um diretor, não sei se vai ser sempre assim para mim.

UOL - Como sabia que conseguiria fazer?
Rihanna -
Eu não sabia! Por isso quis fazer. Só havia uma maneira de descobrir.

UOL - Qual seu filme favorito?
Rihanna -
“Segurando as Pontas”? (risos) “Borat”? Eu acho que sei todas as falas de cor.

UOL - Você disse que quer fazer mais filmes. Isso significar que vai atuar mais e cantar menos?
Rihanna -
Não vejo por que não posso fazer as duas coisas! (risos) São duas coisas que eu amo.

UOL - Mas você não desistiria de cantar?
Rihanna -
Não. Por que faria isso? (risos) A música move o mundo. O meu mundo.