28/08/2012 - 12h57

"Vingador do Futuro" se mantém no topo das bilheterias brasileiras

  • Cartaz brasileiro de "O Vingador do Futuro"

    Cartaz brasileiro de "O Vingador do Futuro"

O filme "O Vingador do Futuro" é o filme mais visto no Brasil pela segunda semana consecutiva, segundo dados da Rentrak. No último fim de semana, ele faturou R$ 2,6 milhões de bilheterias. "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge" continua no segundo lugar, com bilheteria de R$ R$ 2,3 milhões.

O estreante "O Ditador", com Sacha Baron Cohen, vem em terceiro, com R$ 2 milhões, e é seguido por "Um Divã para Dois", com R$ 1,2 milhão, e "Outback - Uma Galera", com R$ 754 mil.

Na sexta semana de exibição, "Valente" foi o sexto longa mais visto, com R$ 634 mil. Outra animação, "A Era do Gelo 4", ficou em 7ª posição, com R$ 559 mil, seguido de "Rock of Ages - O Filme", com R$ 463 mil, "E Aí, Comeu?", com R$ 307 mil, e "360", com R$ 295 mil.

Estados Unidos e China
Nos Estados Unidos, "Os Mercenários 2" ficou em primeiro nas bilheterias, com US$ 1,4 milhão, seguido do documentário anti-Obama "2016: Obama's America", com US$ 1,2 milhão no final de semana. O filme, baseado no livro de Dinesh D'Souza, faturou ao todo US$ 10,5 milhões e tornou-se o sexto documentário político mais visto de todos os tempos nos país, além de ser o mais visto de 2012 até agora e o mais popular documentário feito por conservadores.

Na China, depois de especulações sobre se "Batman" seria exibido por lá ou não, o filme estreou nesta segunda-feira (27) e faturou US$ 4,5 milhões – a maior estreia local em 2D. Segundo informações do site da revista "Variety", "O Cavaleiro das Trevas Ressurge" bateu todos os "Harry Potter" (exceto o último em 3D) e "A Origem", de Christopher Nolan, que havia faturado US$ 1,7 milhão em sua estreia, em 2010.

Globalmente, o novo "Batman" deve atingir US$ 1 bilhão dentro das próximas semanas. A maior bilheteria atingida até agora foi a do dia 26 de agosto, com US$ 940 milhões. Fora dos Estados Unidos, o país em que o longa obteve maior faturamento foi no Reino Unido, com US$ 82,1 milhões.