Chambinho do Acordeon ganhou o papel de Luiz Gonzaga no filme "Gonzaga - De Pai Para Filho"

Chambinho do Acordeon ganhou o papel de Luiz Gonzaga no filme "Gonzaga - De Pai Para Filho"

28/09/2012 - 12h06

"Gonzaga - De Pai Para Filho" emociona o público em noite de abertura do Festival do Rio

Paulo Virgilio
Da Agência Brasil

Uma concorrida noite de gala para convidados, que lotou o Cine Odeon Petrobras, na Cinelândia, no centro do Rio, astros e personalidades do cinema, profissionais de todos os segmentos do setor audiovisual, além de autoridades, marcou nesta quinta (27) a abertura oficial da edição 2012 do Festival do Rio.

O filme escolhido para a sessão inaugural do evento, "Gonzaga – De Pai Para Filho", do cineasta Breno Silveira, arrancou aplausos entusiásticos da plateia, emocionada com a narrativa, pontuada por muita música e pelas histórias de vida do sanfoneiro, cantor e compositor Luiz Gonzaga e de seu filho, o também compositor e cantor Gonzaguinha.

A tensa relação entre pai e filho é o fio condutor do filme, uma superprodução de R$ 12 milhões, rodada em locações no Nordeste e no Rio de Janeiro. O roteiro de Patricia Andrade teve como fonte o livro "Gonzaguinha e Gonzagão – Uma História Brasileira", da jornalista Regina Echeverría.

"Gonzaga – De Pai Para Filho", que chega ao circuito comercial no dia 26 de outubro, não integra a parte competitiva do festival, formada por 12 longa-metragens de ficção e 9 documentários, além de curta-metragens. As produções nacionais em competição, todas inéditas, começam a ser exibidas hoje (28), com as sessões de gala no Odeon Petrobras. Os filmes também serão exibidos em mais 30 locais espalhados pela cidade.

Desde às 20h, dezenas de pessoas se aglomeravam na porta  no cinema para ver a chegada dos artistas, que percorrem o já tradicional tapete vermelho para entrar no Odeon. Convidada especial da noite, a atriz Regina Duarte, que está completando 50 anos de carreira, abriu a cerimônia, que contou com as presenças, entre outras autoridades, da ministra da Cultura, Marta Suplicy, do secretário municipal de Cultura, Emilio Kalil, representando o prefeito Eduardo Paes, e do presidente da RioFilme, Sérgio Sá Leitão. Patrocinadora do evento, juntamente com a Petrobras e outras empresas, a RioFilme está completando 20 anos, “sempre na meta de fazer do Rio de Janeiro o principal polo audiovisual do país”, segundo Leitão.

Em breve discurso, a ministra Marta Suplicy destacou a importância do evento, “um dos cinco maiores festivais de cinema do mundo” e da aprovação, pelo Congresso Nacional, do Sistema Nacional de Cultura. “O audiovisual é um segmento estratégico de inclusão social em nosso país”, afirmou.

Já o secretário Emilio Kalil ressaltou o caráter democrático da mostra de filmes, presente este ano em todas as regiões da cidade. “Estamos levando o festival à Pavuna, à Penha e ao Méier, em salas novas e bem equipadas”, disse.

O Festival do Rio tem ao todo 20 mostras, entre as já tradicionais do evento (Panorama do Cinema Mundial, Premiéres Brasil e Latina, Expectativa, Midnight Movies, Mundo Gay, Fronteiras, Dox, Filme Doc, Geração, Meio Ambiente e outras) e as exclusivas desta edição. Uma delas é Imagens de Portugal, que homenageia, no Ano do Brasil em Portugal, os grandes cineastas daquele país, como Manoel de Oliveira e João Pedro Rodrigues. A outra é Foco UK, dedicada à recente produção cinematográfica do Reino Unido.

A edição 2012 do festival prestará homenagem especial a mais dois grandes diretores: Alberto Cavalcanti, considerado o mais internacional dos diretores brasileiros e pouco exibido em seu próprio país, e o cultuado John Carpenter, considerado o “deus vivo dos filmes de terror”.

Na mostra Panorama do Cinema Mundial, a mais concorrida do evento, serão exibidos os mais destacados títulos da recente produção cinematográfica de todo o mundo, entre eles, "Twixt", de Francis Ford Coppola; "Lay the Favorite", de Stephen Frears; "Magic Mike", de Steven Soderbergh; "César Deve Morrer", de Paolo e Vittorio Taviani; A"nother Year", de Mike Leigh; "Michael Jackson Bad 25", de Spike Lee; "In the Land of Blood and Honey", de Angelina Jolie e "Selvagens", de Oliver Stone.

Sede do festival pelo segundo ano consecutivo, o Armazém 6 do Cais do Porto abrigará as sessões populares da Premiére Brasil, o Cine Encontro e a área de negócios do evento, o Rio Market. A programação completa do evento já está disponível no site do festival.

No Cine Encontro, o público tem a oportunidade de entrar em contato com quem faz cinema, por meio de debates e conversas com os realizadores, atores e atrizes dos filmes da Première Brasil, convidados internacionais de outras mostras e com representantes do meio cinematográfico. Todas as atividades do Cine Encontro têm entrada gratuita.