18/05/2011 - 11h15

Em Cannes, Lars von Trier diz 'compreender' Adolf Hitler

<a href="http://noticias.uol.com.br/ultnot/afp/"><img src="http://n.i.uol.com.br/ultnot/home/afp.gif" border="0"></a>

CANNES, França, 18 Mai 2011 (AFP) -O diretor dinamarquês Lars Von Trier disse nesta quarta-feira que compreendia e sentia "um pouco" de compaixão por Adolf Hitler, indagado durante o Festival de Cinema de Cannes sobre suas raízes alemãs.

Falando à imprensa ao lado de Kirsten Dunst, que estrela seu último filme, "Melancholia", Von Trier declarou entender o líder nazista.

"Eu realmente gostaria de ser judeu, e então descobri que na verdade eu era um nazista. Você sabe, porque minha família era alemã, Hartmann, o que também me dá um certo prazer", declarou, respondendo a uma pergunta sobre a origem alemã de sua família.


"Eu compreendo Hitler. Acho que ele fez algumas coisas erradas, sim, com certeza, mas eu consigo vê-lo sentado em seu bunker no final", afirmou o cineasta.

Quando Dunst, que também tem origem alemã, arregalou os olhos, claramente desconfortável com os comentários do diretor, e murmurou para Charlotte Gainsburg, com quem contracena em "Melancholia", um assustado "meu Deus!", Von Trier tentou acalmá-la: "mas eu tenho um argumento no final disto".

"Estou apenas dizendo", tentou explicar Von Trier, "que acho que entendo este homem. Ele não é o que você poderia chamar de um cara legal, mas sim, eu entendo muito a seu respeito, e sinto por ele um pouco de compaixão, sim. Mas vá lá, eu não sou a favor da Segunda Guerra Mundial. E não sou contra os judeus".

TRAILER DO FILME "MELANCOLIA"


Sob o olhar incrédulo dos repórteres, aparentemente ainda não satisfeito, o cineasta concluiu sua fala com uma crítica a Israel e um elogio a Albert Speer, arquiteto oficial do Terceiro Reich.

"É claro que gosto muito dos judeus - mas nem tanto, porque Israel é um pé no saco. Mesmo assim - como é que eu termino esta frase? - eu apenas gostaria de dizer, sobre a arte, que gosto muito de Speer", indicou, destacando o "talento" do arquiteto nazista, condenado por crimes contra a humanidade.

"O.K., então, sou um nazista", disse Von Trier, dando de ombros.