18/11/2011 - 13h26

Capitão de iate acusa marido de Natalie Wood pela morte da atriz

<a href=http://noticias.uol.com.br/ultnot/ap/><img src=http://n.i.uol.com.br/ultnot/home/ap.gif border=0></a>
  • Natalie Wood em cena de "Rastros de Ódio" (1956), um dos filmes mais emblemáticos de sua carreira

    Natalie Wood em cena de "Rastros de Ódio" (1956), um dos filmes mais emblemáticos de sua carreira

A morte
Natalie Wood morreu afogada aos 43 anos em 29 de novembro de 1981
A versão oficial
A atriz passava um fim de semana num barco com o marido, Robert Wagner, o ator Christopher Walken, e o capitão do iate, Dennis Davern. Na época, as autoridades concluíram que tratava-se de um acidente, por conta de excesso de bebida.
A versão do capitão
Trinta anos depois da morte, Davern veio a público dizer que o marido da atriz é o responsável pela morte. No livro "Goodbye Natalie, Goodbye Splendour", ele diz que a atriz teria desaparecido depois de uma discussão que teve como marido. Segundo Davern, Wagner teria pedido que o capitão não avisasse a Guarda Costeira do desaparecimento.
Atriz pode ter ficado viva por 4 horas
A co-autora do livro, Marti Rulli estima que a atriz tenha passado cerca de quatro horas viva antes de morrer afogada, porque estava vestindo uma jaqueta que flutuava. Segundo o TMZ, dois detetives foram designados para o caso.

Dennis Davern, capitão do iate em que Natalie Wood estava antes de morrer, disse ao programa de TV "Today", da NBC, que mentiu para os investigadores há 30 anos e acusa o marido de Natalie, Robert Wagner, pela morte da atriz. As investigações do caso foram reabertas pela polícia de Los Angeles.

Ao canal de TV, Davern disse que a briga entre Natalie Wood e Robert Wagner foi crucial para a morte da atriz, encontrada nas águas frias do Oceano Pacífico, em novembro de 1981. Questionado sobre o quanto a briga estaria ligada à morte, o capitão do iate apenas disse: "Essa será uma decisão dos investigadores".

Davern ainda disse que Wagner abafou intencionalmente as investigações, mas o capitão não quis dar detalhes sobre o que sabe da história. A polícia de Los Angeles deve se pronunciar aos jornalistas ainda nesta sexta-feira (18) sobre a reabertura do caso. 

A morte da atriz foi considerada acidental na época, o que provocou polêmica. Natalie estava aproveitando o fim de semana em um iate na ilha de Catalina, na Califórnia, ao lado do marido, Robert Wagner, e do ator Christopher Walken, além do capitão do iate. Enquanto tentava saltar em um bote atado ao iate, teria caído na água.

A irmã de Natalie, Lana Wood, falou ao site TMZ que nunca acreditou na versão contada por Robert Wagner, marido de Natalie. Afirmou também que Wagner não foi honesto com as autoridades ao ser interrogado e que, na época, foi questionada por policiais se a relação entre Natalie e seu marido era "inconstante". Lana acredita que "se há um responsável pela morte de Natalie, ele deve ser punido, mesmo 30 anos depois".