04/05/2011 - 14h55

Cinema ibero-americano vira dicionário em mais de 10 mil páginas

  • Composto de 10 volumes, o "Dicionário do Cinema Ibero-Americano" tem 16.000 verbetes

    Composto de 10 volumes, o "Dicionário do Cinema Ibero-Americano" tem 16.000 verbetes

MADRI, Espanha - De Luis Buñuel a Pedro Almodóvar, de María Félix a Javier Bardem, o novo "Dicionário de Cinema Ibero-Americano" inclui 16 mil verbetes em mais de 10 mil páginas e 10 volumes, uma ambiciosa obra que reúne tudo relativo ao cinema de 22 países e que conta com uma versão digital.

A obra está dividida em oito volumes que reúnem, por ordem alfabética, todos os gêneros e profissionais vinculados ao mundo do cinema, e em outros dois que reúnem os mil filmes mais importantes do âmbito ibero-americano, explicaram nesta quarta-feira seus diretores, Carlos F. Herdeiro e Eduardo Rodríguez Merchán.

Cerca de 400 especialistas participaram do desenvolvimento deste dicionário que durou 10 anos no qual se tratou de conseguir "um jogo de equilíbrio" para que os diretores da mesma importância dispusessem do mesmo espaço e para que os países estivessem representados como corresponde a sua história cinematográfica.

Assim, Espanha, México, Argentina e Brasil são os que dispõem de mais resultados, com 60% do espaço dedicado aos 20 países latino-americanos incluídos, explicou à Agência Efe o diretor da parte da América do dicionário, o diretor do Festival Internacional do Novo Cinema Latino-americano de Havana, Ivan Giroud.

"Foi um trabalho monumental para ordenar e processar toda a informação, escolher um coordenador para cada país e os mais de 170 especialistas que participaram da redação da parte latino-americana".

A iniciativa da Sociedade Geral de Autores da Espanha (SGAE), que financiou os 1,6 milhões de euros que custou seu desenvolvimento, contou além disso com a colaboração desinteressada de filmotecas, academias de cinema e universidades, principalmente da Espanha, Brasil, México, Argentina, Cuba, Uruguai e Chile.

Desta forma, foi possível contar com 5 mil ilustrações, muitas delas inéditas, que completam as seções dedicadas a filmes, gêneros, censura em países com ditadura, e até arquitetura de salas de cinema.

Nomes como Cantinflas, María Félix, Arturo Ripstein, Francisco Lombardi, Raquel Meller, Sergio Cabrera, Néstor Almendros e Penélope Cruz se misturam com títulos como "Viridiana", e "Maria Cheia de Graça" e seções como o dedicado ao cinema e a literatura através de José Saramago.

Dos 10 volumes do dicionário, os quatro primeiros já estão disponíveis - a 725 euros -, e o resto será lançado no mercado em novembro, tanto na Espanha como na América Latina.